Agência de Publicidade e Marketing 360º

Mini carrinho

inbound marketing

um termo que ganhou notoriedade no mundo das empresas nos últimos anos – nada mais é do que um mix de estratégias, com foco na produção de conteúdo diferenciado para o seu cliente, que anda cada vez mais conectado, com conhecimento e com um poder de escolha nunca visto antes na história da humanidade. Por meio de produção de conteúdo relevante e de relacionamento com o consumidor, um negócio consegue atrair seus clientes e gerar vendas mais qualificadas de seus produtos e serviços em Brasília.

Continue Lendo “Inbound Marketing estratégia Marketing Digital em Brasília DF”

Já passou o tempo em que as estratégias de ensino-aprendizagem consistiam apenas nos métodos tradicionais. As novas tecnologias se tornaram verdadeiras ferramentas pedagógicas, que incentivam os processos de escrita e leitura.

Essa abertura das instituições para o mundo digital é natural. Na Era da Informação, torna-se essencial integrar o humano e o tecnológico para alcançar novos patamares e quebrar paradigmas. É assim que o processo de aprendizagem é modificado e motiva o aluno.

A questão é: como utilizar essas ferramentas para incentivar a escrita e a leitura? Veja a resposta neste post!

FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS: O QUE SÃO E COMO A TECNOLOGIA AUXILIA A EDUCAÇÃO?

As novas tecnologias como ferramentas pedagógicas no incentivo à escrita e leitura
As novas tecnologias como ferramentas pedagógicas no incentivo à escrita e leitura

Ferramentas pedagógicas são, em sentido amplo, instrumentos que facilitam o processo de aprendizagem. Mais que caracterizar determinado equipamento ou dispositivo, esse termo depende da intenção e da finalidade de quem o utiliza, isto é, contribuir com a educação efetiva do aluno.

Um exemplo simples de ferramenta é o computador. A máquina em si não favorece o aprendizado. No entanto, seu uso com o intuito de interação, manipulação e construção do conhecimento gera benefícios significativos para professores e estudantes.

Assim, fica claro que uma educação de qualidade depende da integração de diferentes tecnologias, a partir de uma visão inovadora. Entre os recursos disponíveis estão: audiovisuais, telemática, textuais, orais, corporais, musicais e até lúdicas.

Dentro desse escopo, o professor tem a chance de trabalhar diferentes assuntos. As opções metodológicas são variadas e permitem ao docente incentivar o conhecimento e a construção colaborativa da identidade do educando.

Portanto, mais que utilizar as tecnologias para elaborar um trabalho, essas ferramentas servem para adquirir conhecimentos, sanar dúvidas e agilizar o ensino-aprendizagem. Por isso, o ideal é trabalhar a inovação para que as ferramentas alcancem um propósito realmente eficaz.

QUAL A RELAÇÃO DAS FERRAMENTAS PEDAGÓGICAS COM O INCENTIVO À ESCRITA E LEITURA?

Muita gente afirma que o uso de dispositivos tecnológicos na educação levaria ao fim da escrita e da leitura. Essa afirmação é um mito. Afinal, diferentes iniciativas e estudos mostram o oposto.

Um exemplo é o projeto Audiolivro do Bem, da Escola Municipal Dr. Jairo Brum, de Guaporé (RS). Com o uso de instrumentos simples, ele conseguiu despertar a atenção dos estudantes. Tudo porque utilizou um gravador e um aplicativo de computador para recontar histórias. Os alunos fizeram a gravação como forma de radionovela. O benefício foi trabalhar questões básicas com os educandos. Em um primeiro momento, o objetivo foi estimular a leitura, já que muitos estudantes tinham dificuldades, mesmo estando no 5º ano. Em seguida, foram retirados livros das bibliotecas, porque foi verificado o prazer da leitura.

Assim, fica claro que os livros continuam sendo importantes e as ferramentas pedagógicas não os substituem. Na verdade, elas agregam à construção do conhecimento e tornam a experiência mais interessante. No exemplo citado, a regravação de histórias trabalha: oralidade, criatividade, socialização e leitura.

Em 2018, a maior Conferência de Tecnologia e Educação do mundo, a ISTE, em que o Prova Fácil esteve presente, mostrou que o uso de tecnologia para leitura e escrita não só é possível, como é também a mais nova tendência quando falamos de inteligência artificial e realidade aumentada. No caso da realidade aumentada, é possível promover outras formas de interação dos alunos com a leitura, ao passo que com a inteligência artificial é possível perceber padrões de escrita e dúvidas em textos e redações para ajudar a inferir na aprendizagem do aluno, ao passo que a realidade aumentada garante outras formas de interação com a leitura.

Os feedbacks de textos acontecem com a ajuda de vídeos e áudios. Esse retorno é indispensável para aprimorar a aprendizagem dos alunos e mostrar quais aspectos devem ser fortalecidos. Com ferramentas estratégias e inteligência pedagógica, são assinaladas as principais falhas dos estudantes para que os professores tenham tempo e instrumentos para reforçar as dificuldades existentes dos alunos ou das turmas e sanar as dúvidas.

POR QUE INCENTIVAR A ESCRITA E A LEITURA?

Apesar do crescimento do uso das tecnologias, principalmente do uso de vídeos e áudios (este último recebe atenção ainda mais especial nas tendências fortes para 2019), os docentes nunca devem abrir mão do incentivo à escritura e à leitura. Isso porque os dois aspectos têm relevância para o desenvolvimento humano.

Escritura e leitura são elementos de expressão fundamentais. Sem eles, é impossível compreender qualquer assunto educacional e ter uma visão crítica do mundo. É isso, inclusive, que indicam estudos como o da  Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que indicam que essas habilidades são determinantes para a mobilidade social e indicadores de sucesso de qualquer criança.

Achou exagerado? Basta pensar na sua rotina diária. Por mais que você trabalhe em outras áreas, a escrita e a leitura estão sempre presentes, desde uma ida ao supermercado até a redação de um e-mail ou realização de uma palestra. Nesse contexto, os principais motivos que justificam o incentivo a essas competências são:

  • desenvolvimento da capacidade de organizar ideias, pensamentos e argumentos, assim como de compartilhar informações e oferecer apoio a pontos-chave da discussão;
  • facilidade de reflexão, expressão e habilidades comunicativas, tanto na parte oral quanto escrita;
  • sentimento de realização porque o aluno finalizou um texto, o que leva à promoção da confiança e melhoria da produtividade pessoal em diferentes frentes;
  • criticidade em pensamentos e no processamento de informações devido à articulação escrita, bem como a melhoria do aprendizado visual, que é fortalecida pela escrita e pela leitura.

 COMO COLOCAR EM PRÁTICA?

Trabalhar as ferramentas pedagógicas em sala de aula é uma atividade que requer análise das opções disponíveis. Nesse momento, o importante é considerar as alternativas existentes e lembrar da integração necessária para a construção do conhecimento em sala de aula. Conheça algumas iniciativas possíveis e de que forma elas auxiliam o processo de ensino-aprendizagem.

 ADOTE UMA PLATAFORMA DE CORREÇÃO DE REDAÇÕES

Corrigir redações é uma atividade que leva tempo, porque exige análise crítica, verificação de questões gramaticais e indicação dos pontos a serem melhorados. Ao escolher uma plataforma de correção e ensino de redações, os professores têm acesso aos dados dos estudantes e focam ações estratégicas com base nos resultados obtidos.

Por meio dos pontos de atenção, é preciso estimular a leitura e a interpretação de textos, assim como detectar as principais falhas de escrita. Assim, é possível trabalhar individualmente para aperfeiçoar as habilidades, o pensamento crítico e a organização das ideias.

 APOSTE NOS RECURSOS DA IA

Utilizar a inteligência artificial e as tecnologias abrangidas (como o machine learning) é uma maneira eficiente de corrigir provas e ter acesso a dados estatísticos com facilidade. O próprio sistema identifica padrões e faz sugestões de acordo com os critérios especificados. Assim, alunos e professores têm acesso a informações inteligentes, que geram melhorias para a construção do conhecimento.

 USE QUESTÕES DISSERTATIVAS EM AVALIAÇÕES

Colocar questões dissertativas nas provas é indispensável, porque ajuda o aluno a melhorar sua escrita e a leitura. A vantagem é que elas são adicionadas a qualquer disciplina. No entanto, nem sempre os docentes optam por essa modalidade devido ao trabalho para formular e corrigir as perguntas.

É aí que entram os sistemas de gestão de provas. Com eles, o professor seleciona questões já disponíveis ou cria as que achar necessário. Após a resposta dos alunos, os textos são enviados para a plataforma por meio de uma digitalização e professores especializados fazem a correção.

Ao mesmo tempo, há indicação dos erros e inserção de links e explicações que fortalecem o assunto a ser aprendido.

CONTE COM PLATAFORMAS QUE POSSIBILITEM O ENSINO ADAPTATIVO

Aplicar o ensino adaptativo significa reconhecer as individualidades de cada estudante e entender de que maneiras é possível estimular o ensino-aprendizagem daquele aluno. Em palavras mais simples, a ideia é transmitir os conteúdos de maneira a potencializar a  agregação de conhecimentos.

Com as plataformas adequadas, o professor consegue utilizar diferentes matrizes de referência para, então, avaliar a aplicação e a preparação dos conteúdos. Assim, é possível identificar engajar o educando na construção do conhecimento e estimulá-lo.

Ao mesmo tempo, os relatórios gerados pelos sistemas de gestão de provas facilitam a identificação de necessidades e permitem ao docente ter mais tempo para traçar ideias estratégicas, focada nas demandas de cada estudante.

Em suma, fica claro que as ferramentas pedagógicas são utilizadas de maneira distinta e precisam ser adequadas à faixa etária do aluno. De qualquer forma, são importantes instrumentos para melhorar a aprendizagem e incentivar a leitura e a escrita em qualquer disciplina. O resultado é um ensino mais adaptado às necessidades dos alunos e em sintonia com o mundo digital, que exige integração de conhecimentos e desenvolvimento de competências e habilidades.

Gostou de entender mais sobre as possibilidades de integrar as ferramentas pedagógicas no incentivo à escrita e à leitura? Conheça o Prova Fácil, sistema de gestão de provas, e leve sua instituição de ensino ao topo!

Saiba o que você deve levar em conta para escolher a agência de publicidade e e marketing digital que trará resultados para sua empresa.

Você sabe tudo o que uma agência de publicidade e propaganda tem a oferecer para o seu negócio? Muitos empreendedores associam essas agências somente à criação da identidade visual de suas empresas e desconhecem os outros serviços que podem ser prestados.

Entretanto, uma agência de propaganda é importante não só para criar uma imagem forte do seu negócio no mercado, mas também para ajudar sua empresa a atingir os seus objetivos. Muito além de uma boa equipe de design e criativos, são nos resultados para o seu negócio que deve estar o foco.

Afinal, o objetivo que você busca é potencializar os resultados da sua empresa, não é mesmo? Todos os esforços que envolvem publicidade e propaganda têm o propósito de aumentar as vendas e promover o crescimento do seu negócio. Encontrar uma agência de publicidade e propaganda que se comprometa com esses desafios é um grande diferencial para alcançar o sucesso no mercado.

Veremos neste artigo como escolher a agência de publicidade e propaganda que traga resultados para sua empresa. Confira agora!

Tenha claro o seu objetivo na hora de escolher uma agência

O primeiro passo para escolher a agência de publicidade e propaganda perfeita para ajudá-lo a chegar mais longe é definir os seus próprios objetivos. O que você espera dos serviços da agência? Para onde você deseja levar a sua empresa?

A imagem da sua empresa não é o ponto principal nesse momento. Uma agência pode trazer retornos sólidos em vendas com uma estratégia eficaz focada em resultados.

Você quer apenas uma identidade visual atraente ou deseja potencializar os resultados de vendas? Isso tudo pode andar junto quando é criada uma boa estratégia que conduz a empresa no mercado — criando uma boa percepção no público e fomentando o início de relacionamentos que resultam em vendas.

Além disso, você pode ter objetivos mais específicos que necessitam do auxílio de uma agência para serem concretizados — como a segmentação do seu público, a fidelização de clientes, a atração de novas pessoas interessadas no seu produto ou serviço, ou o aumento do número de vendas.

Analise o portfólio da agência de publicidade e marketing digital

Esqueça todas as promessas da agência e parta para o que interessa: quais são os resultados que outros clientes dessa empresa já obtiveram?

Uma boa análise dos cases de sucesso da agência de publicidade e propaganda pode ser um ótimo indicativo no momento da sua escolha. Mais do que conferir a qualidade dos serviços prestados, você também adquire uma boa noção de todo o potencial que pode ser utilizado a favor do seu negócio.

A agência ideal tem que ter um portfólio reconhecido pelo mercado. Além de conferir todo o trabalho gráfico desenvolvido e peças publicitárias veiculadas, busque conhecer os resultados obtidos com as ações promovidas. Afinal, você está em busca de resultados, não é mesmo?

Existem diferentes modelos de agência atuando no mercado, com variadas formas de atuação e serviços prestados. Investigar o portfólio da agência também pode garantir que você escolha a agência que pode oferecer exatamente a abordagem que você necessita.

Escolha uma agência com expertise no seu segmento

O trabalho de uma agência de publicidade e propaganda envolve muita criatividade para gerar engajamento do público. É somente dessa forma que os resultados realmente aparecem.

Quando a agência possui conhecimentos sobre o seu segmento e sabe como dialogar com o seu público, fica mais fácil executar ações assertivas. Por outro lado, o desconhecimento sobre quem é o público-alvo na realização dessas ações pode gerar pouco engajamento.

Uma agência com expertise no seu negócio pode trazer estratégias inovadoras para a sua empresa. Trata-se de uma parceria que tem tudo para alcançar os melhores resultados.

Atravessamos um momento em que muitas empresas enfrentam um dilema sobre o investimento no marketing tradicional ou marketing digital. Qual será a melhor abordagem para gerar engajamento do seu público? Certamente, o segmento em que a sua empresa está inserida interfere diretamente na escolha das melhores estratégias.

Analise o time profissional da agência e seus méritos

São as pessoas que criam e executam as ações que podem levar a sua empresa ao sucesso. Por isso, é fundamental analisar o time profissional da agência e conhecer os seus méritos. Afinal, a sua escolha deve considerar todos os aspectos importantes, não é mesmo?

Uma agência de publicidade e propaganda ideal possui um time profissional qualificado e comprometido em trazer resultados para os seus clientes. Toda a organização tem o mesmo propósito de ajudá-lo a alcançar os seus objetivos — seja o responsável pelo atendimento, pela criação ou pela gestão das mídias sociais.

Além disso, outra dica importante é conferir a repercussão dessa agência em outros trabalhos. Certificados e prêmios são importantes, porém, não deixe de realmente focar se essa agência é de fato comprometida em entregar valores e resultados, e não somente prêmios.

Busque uma agência com estratégias inovadoras

Inovação é a palavra-chave quando falamos sobre a escolha de uma agência de publicidade e propaganda. O mercado nunca foi tão concorrido e são diversas empresas disputando o espaço e a atenção do público. Nessa situação, destacam-se aquelas que conseguem mostrar mais valor.

Uma agência que compreende a sua empresa e está comprometida com os seus resultados consegue ser muito efetiva em transmitir o valor do seu negócio. O consumidor não está interessado em mais do mesmo, e sim em novas experiências que possam satisfazer as suas necessidades.

O ritmo de inovações do mercado é muito acelerado. As agências que conseguem se manter sempre atualizadas conseguem explorar todas as ferramentas que estão à disposição e encontram os melhores caminhos para alcançar o público de forma efetiva.

Entre as maiores tendências que estão sendo utilizadas estão os serviços digitais — que incluem a criação de um site/blog, produção de conteúdo, otimização para os mecanismos de busca, utilização das mídias sociais, e-mail marketing, mídias pagas, entre outros. O domínio sobre essas ferramentas e novas estratégias de marketing é muito importante para promover a inovação.

Avalie o custo-benefício

Trabalhar com agências de renome que cobram valores altos não é garantia de sucesso. Muitas vezes, a parceria com uma agência menor pode ser mais vantajosa, pois permite um relacionamento mais atencioso, afinal para ela todas as contas são importantes.

Não é regra, mas é comum que, em grandes agências, os maiores clientes ganhem muito mais atenção e os menores acabem ficando de lado.

Compare preços, mas não decida por eles

Quem disser que o preço de um serviço não é um fator importante está mentindo. A realidade das empresas é sempre fazer cada vez mais, com uma verba cada vez menor. Contudo, levar apenas esse fator em consideração pode ser um erro fatal para a sua empresa.

Compare os preços, os serviços e toda a parte lógica da coisa, mas não esqueça de levar em consideração a parte abstrata também. Questões como o atendimento e a confiança passada pela agência também são fatores importantíssimos e que devem pesar na decisão.

Agora que você já sabe quais são os fatores a serem levados em conta ao se contratar uma agência de publicidade, entre em contato com a gente e descubra como podemos ajudá-lo a crescer!

Agência de publicidade e propaganda: com resultados reais em vendas

Escolher uma agência de publicidade e propaganda pode ter um impacto muito maior no sucesso da sua empresa, não é mesmo?

Criar uma imagem ideal para o seu negócio é importante, mas uma agência de propaganda pode ir muito além disso. Ela precisa entender bem o seu problema e resolvê-lo independente de qualquer outro ponto. Seja qual for a sua necessidade, como campanha de mídia, aplicativo para o seu negócio, desenvolvimento de e-commerce, aumentar a presença digital da sua empresa, a agência ideal irá encontrar caminhos inovadores para solucioná-lo.

Lembre-se: hoje em dia existem diversos serviços e estratégias inovadoras que podem trazer resultados reais em vendas para o seu negócio. Você não precisa encarar a jornada rumo ao sucesso sozinho!

Conversão e Qualificação
Conversão e Qualificação

Tráfego.

Essa simples palavra resume o objeto de disputa de todos os blogs e sites da internet.

Eu pressuponho que você imagine o motivo.

As páginas na web representam os principais pilares da estratégia de marketing digital, já que são a base de sustentação da presença virtual da empresa.

Por isso, gerar tráfego significa atrair leads, estabelecer relacionamentos, segmentar a audiência e dialogar com seu público-alvo.

Neste guia, você vai aprender o que é tráfego online, quais são os principais tipos existentes e os melhores canais para gerá-lo.

Continue a leitura e saiba como atrair mais internautas para as suas landing pages.

O que é tráfego?

nível de trafego
nível de trafego

No mundo digital, tráfego se refere à movimentação de usuários que navegam entre páginas.

Ou seja, assim como o tráfego de trânsito diz respeito à circulação de veículos, o tráfego na internet trata do fluxo de usuários.

Mas ao contrário do mundo físico, o tráfego na web é muito bem-vindo pelos administradores de sites.

Isso porque quanto mais gente chega a uma página de destino, maior é o número de conversões.

Imagine que você tenha uma loja virtual de utensílios de informática e queira otimizar as vendas.

Ou que criou um ebook para coletar leads e o forneceu em uma landing page.

O que você precisa para alcançar cada um dos objetivos anteriormente citados?

Exatamente: tráfego.

As estratégias de marketing são, em sua maioria, automatizadas.

Por isso, diferentemente de uma loja física, na qual há um volume limitado de pessoas que podem ser atendidas, na internet é praticamente impossível alcançá-lo.

Não há problemas com engarrafamento.

É por isso que saber como aumentar o tráfego no site ou blog é essencial para cumprir objetivos de negócios.

Quanto mais internautas atraídos, melhores os resultados.

Não adianta nada ter uma página com um design incrível, conteúdo de qualidade e alta velocidade de carregamento se ela não é visitada por ninguém, não é mesmo?

Por essa razão, gerar tráfego é uma das metas mais buscadas por empresas que investem em marketing digital.

Os 6 tipos de tráfego para aumentar os acessos do seu site

Google Analytics
Google Analytics

Se você chegou até aqui, provavelmente quer aumentar o número de acessos no seu site.

Bom, antes de tudo, é preciso compreender um conceito chamado de “fontes de tráfego”.

Basicamente representam a origem do tráfego.

Em outros termos, são os caminhos por onde os visitantes vieram.

“Mas por que isso é importante?”, você me pergunta.

A resposta é bem simples.

No universo digital, todas as medidas estratégicas são baseadas em dados.

Ao descobrir quais são as principais fontes de aquisição de tráfego, você sabe exatamente onde investir seus esforços de marketing.

Além disso, capacita-se para avaliar reajustes orçamentários, mudanças no planejamento e muitas outras ações.

Ou seja, informações que direcionam o caminho correto ao administrador.

Existem 6 tipos de tráfego, sobre os quais falarei detalhadamente a seguir.

1. Tráfego orgânico

Diariamente as pessoas veem até mim e fazem a seguinte pergunta: afinal, como gerar tráfego orgânico?

Essa é uma dúvida muito comum, e explico o motivo.

O tráfego orgânico é natural.

Ou seja, é a visita de pessoas às páginas de um site ou blog sem a necessidade de pagamento.

Os visitantes podem encontrar suas pages em uma busca no Google, clicando em um link em algum outro site ou recebendo-a em um aplicativo de comunicação, por exemplo.

Essa é a menina dos olhos para profissionais de marketing.

A maneira mais comum para gerar tráfego orgânico é o famigerado marketing de conteúdo.

Ao criar artigos otimizados para mecanismos de busca (SEO), as páginas de um blog aparecem nos resultados de pesquisa, levando em consideração a intenção da procura do usuário.

Saber o que é tráfego orgânico e como gerá-lo é o baú do tesouro no fim do arco-íris em estratégias digitais.

E o conteúdo de qualidade e a aplicação de técnicas para um bom ranqueamento são a chave para abri-lo.

2. Tráfego pago

Marketing Estratégico

Também é possível comprar tráfego, em uma estratégia com os chamados links patrocinados.

Você deve estar se perguntando por qual motivo alguém pagaria por isso quando é possível alcançá-lo gratuitamente.

Primeiro, é importante salientar que não podemos chamar de gratuita a criação de conteúdo relevante.

Isso exige tempo, conhecimento e, muitas vezes, investimento, quando a produção é terceirizada ou há uma equipe designada para tal.

Depois, há um fator de extrema importância no marketing de conteúdo: o tempo de espera para resultados.

A otimização orgânica no Google não ocorre rapidamente, e você ainda terá que superar uma série de outras páginas tentando ranquear para a mesma palavra-chave.

Já o tráfego pago é imediato e garantido.

É claro que tudo depende do quanto você investe.

Por exemplo, o Google Ads (antigo Google Adwords), maior plataforma de publicidade digital do mundo, utiliza um sistema de leilão.

No Google, os resultados pagos aparecem antes dos resultados orgânicos na página de buscas, mas são indicados com uma etiqueta de “ad”.

Esse formato de tráfego pago é veiculado na chamada rede de pesquisa.

A outra opção mais tradicional é a rede de display, na qual os links são inseridos em sites que fazem parte do programa de parceiros do Google, por meio do Google AdSense.

Os links patrocinados também podem ser segmentados de acordo com as preferências do gerenciador da campanha.

Dados geográficos, demográficos ou comportamentais ajudam a otimizar a geração de tráfego nesse caso.

Aqui citei apenas a mais importante ferramenta de propaganda do mundo digital.

Mas lembre-se de que existem muitas outras, como o Facebook Ads, o Bing Ads e o Twitter Ads.

3. Tráfego de referência

Você já pediu uma indicação para um amigo na hora de contratar um produto ou serviço?

Eu imagino que sim.

Quanto mais confiável a pessoa, mais inclinado a fechar o negócio você fica, certo?

Bom, esses conceitos também são utilizados na web.

No entanto, as referências são inseridas em formato de links.

Você já deve ter percebido, ao ler um texto, que vários links clicáveis são inseridos em meio ao conteúdo.

Eles representam o tráfego de referência, uma maneira de “citar” outra página e permitir que o usuário navegue até ela através do clique.

Quando uma página referencia outra, ela está repassando autoridade.

Ou seja, dizendo ao Google e outros dispositivos de pesquisa que aquele conteúdo é relevante.

Os profissionais de SEO chamam esses links que levam para as páginas de um site ou blog de backlinks.

No entanto, há outro conceito interessante.

Quando você insere links para páginas externas em seu próprio conteúdo, gosto de chamar de links de saída.

Por outro lado, ao receber links páginas externas para as próprias, podemos nomear links de entrada.

O tráfego de referência é muito valioso não apenas por trazer usuários, mas também por dizer aos robôs do Google que suas páginas são úteis.

De maneira idêntica à analogia do amigo, quanto mais confiável e relevante o site, maior a força de seus links de entrada.

4. Tráfego direto

ilustração sobre crescimento de tráfego
ilustração sobre crescimento de tráfego

Se voltarmos no tempo, chegaremos a uma época na qual os mecanismos de buscas não existiam.

Nesse tempo, as pessoas precisavam digitar a URL desejada no navegador.

O conceito de tráfego direto é exatamente esse.

Quando um usuário utiliza a barra de endereço para digitar o site, recebe essa nomenclatura.

Em outras palavras, no tráfego direto não há intermediários.

O usuário acessa diretamente o seu site.

Isso normalmente acontece quando o internauta já conhece a página, recebe indicações ou toma conhecimento sobre ela por canais offline.

Também ocorre quando a página está favoritada ou para a qual foi criado um atalho.

5. Tráfego social

O tráfego social advém das redes sociais.

Ou seja, ocorre quando links são compartilhados no Facebook, Twitter, LinkedIn, YouTube ou outras plataformas de interação.

Esse é um dos motivos pelos quais é importante marcar presença nessas mídias.

Ao conquistar um público valioso nesses recintos, você pode gerar tráfego regular para seus próprios canais.

Grande parte dos internautas passa a maior parte do tempo interagindo nessas aplicações.

Uma característica muito importante desse tipo de ferramenta é que ela proporciona o aumento do alcance de acordo com o engajamento dos posts.

Além disso, permitem a ação de compartilhamentos, que são considerados backlinks valiosos para o algoritmo dos mecanismos de buscas.

6. Tráfego de e-mail marketing

O tráfego de e-mail marketing é adquirido por meio de mensagens que chegam à caixa de entrada dos usuários.

A grande diferença desse modelo é que ele é muito mais pessoal.

Links contidos em e-mails não influenciam diretamente o mecanismo de buscas e não repassam autoridade.

Mas, em contrapartida, são recordistas em cliques.

A explicação tem uma lógica.

Quando um usuário se cadastra em uma newsletter, está dando um voto de confiança para o administrador do site.

Ele solicita o recebimento de informações.

Ou seja, o primeiro contato partiu dele, ao contrário das técnicas de tráfego pago, por exemplo.

Com isso, é natural que o fornecimento de um meio de contato privado represente uma maior taxa de engajamento.

Isso gera mais cliques nos links contidos nas mensagens enviadas.

Por isso a utilização desse recurso é recomendada para gerar tráfego qualificado para um site ou blog.

Este que, aliás, é o tema do próximo tópico.

O que é tráfego qualificado?

profissional de crescimento de tráfico
profissional de crescimento de tráfico

Paulo adorava livros de fantasia desde a infância.

Recentemente ele finalmente conseguiu inaugurar a sua própria livraria virtual.

No entanto, ele precisava de clientes.

E, para isso, recorreu ao marketing digital.

Para gerar vendas, ele investiu grande parte do dinheiro em links patrocinados no Facebook.

Passado um tempo, ele não obteve o retorno esperado.

Você sabe o que pode ter acontecido?

A verdade é que, como iniciante, Paulo não atraiu tráfego qualificado.

Quando o tráfego é genérico, abrange um grande número de pessoas, o que não é uma boa ideia no ambiente digital.

Para isso, é preciso segmentar.

O primeiro passo para tal é traçar o perfil ideal do seu cliente.

No mundo do marketing, damos o nome de persona a esse conceito.

A partir disso, você será capaz de compreender as necessidades e desejos da sua audiência, e não mais atingirá qualquer internauta.

Diferentes estratégias segmentam de maneiras específicas.

Nos links patrocinados, por exemplo, você pode filtrar as suas campanhas somente para determinadas regiões, perfis comportamentais, idade, sexo ou outras variáveis.

Já no marketing de conteúdo, a melhor saída é produzir conteúdos específicos para a sua persona.

No caso de Paulo, seria uma boa ideia criar artigos com os títulos “Os melhores livros infantis para ler em 2019” ou “Top 15 livros de fantasia nacional”.

Esse é o conceito de palavras-chave, que atrai pessoas que realmente se interessam pelo que você vende.

Já no e-mail marketing, as informações são internas.

Então, você pode qualificar o público observando os padrões de comportamento e definindo o nível de interesse dos usuários.

Por exemplo, se um internauta abre muitas das mensagens e clica em vários links, isso significa que ele está engajado.

Portanto, está apto a receber conteúdos com maior frequência, gerando mais tráfego qualificado.

Percebeu como funciona?

A internet apresenta várias soluções para segmentar e qualificar o público.

Sabendo utilizá-las, você certamente se destacará perante a concorrência.

Como escolher o melhor canal de tráfego?

profissional acessando laptop com dados de tráfico pago de web
profissional acessando laptop com dados de tráfico pago de web

Depois de observar as várias opções de canal de tráfego, você provavelmente deve estar se perguntando qual deles deve utilizar, correto?

Se esse é o caso, saiba que só há uma maneira para definir o caminho certeiro para atrair visitantes para as suas páginas.

São as métricas.

Veja bem, na web temos a grande vantagem de que tudo pode ser medido e analisado.

Portanto, vale muito a pena observar os dados recolhidos depois da utilização de cada um dos canais.

E, assim, diante da observação precisa, estabelecer quais deles devem ser mantidos, ajustados ou descontinuados.

Uma ferramenta indispensável para isso é o Google Analytics, que traz dados precisos sobre as fontes de aquisição.

Mas lembre: você deve aliar os números com outras informações importantes para o seu negócio.

Nem sempre o canal que mais gera tráfego é o melhor.

Obviamente, uma campanha de links patrocinados trará mais gente para o seu site que uma gestão de redes sociais.

No entanto, deve-se considerar os gastos para tal.

Por isso, uma medida muito importante em estratégias digitais é o ROI (Retorno Sobre o Investimento).

Ao avaliar essa métrica de cada canal individual, você será capaz de avaliar se o investimento é realmente válido e qual é o melhor canal de aquisição.

Além disso, há diversos outros indicadores valiosos, é claro.

Estude-os, defina quais são importantes para o seu negócio e monitore-os.

5 dicas para gerar tráfego para seu site

ilustração sobre tráfico web em computador sob mesa
ilustração sobre tráfico web em computador sob mesa

Por fim, fiquem com algumas dicas para atrair mais usuários para as páginas de seu site.

1. Escolha palavras-chave de cauda longa

Um dos conceitos mais importantes de SEO é conhecido como cauda longa.

Em suma, consiste na ideia de selecionar palavras-chave mais específicas (e normalmente mais longas) em vez de investir em keywords abrangentes e concorridas.

Assim, no lugar do termo de pesquisa “computador”, que tal pensar em “computador para games em São Paulo”, por exemplo?

2. Invista em link building

A construção dos links internos do seu site também é muito importante para o tráfego.

Lembre-se: uma vez dentro do site, o ideal é que o visitante permaneça nele.

Assim, as chances de otimização de suas conversões aumentam bastante.

Portanto, estruture as referências para páginas próprias e estimule as ações desejadas.

3. Utilize os social ads

Normalmente os anúncios em redes sociais são mais baratos do que nos mecanismos de buscas.

Isso não é um padrão e nem significa que certamente trarão melhores resultados, mas pode ser uma boa alternativa se o seu objetivo é simplesmente gerar tráfego.

4. Crie conteúdo multicanal

Apesar de existir uma persona, o seu público abraça uma série de perfis e canais da internet.

Por isso, a criação de conteúdo multicanal é uma prática recomendada.

Ao gerar artigos, ebooks, podcasts, vídeos, apresentações de slides, infográficos e outros tipos de materiais, você atrai mais e mais pessoas.

Há, inclusive, muitos empreendedores digitais que são adeptos do reaproveitamento do conteúdo em diferentes formatos.

5. Estabeleça relações duradouras

Quanto mais profundos forem os relacionamentos com as pessoas que frequentam o blog, maior será o tráfego recorrente.

Os mecanismos de buscas são excelentes métodos para atrair novos visitantes.

Mas e quanto aos antigos?

Os antigos devem ser nutridos por meio das redes sociais e o e-mail marketing, gerando engajamento e aproximando-se cada vez mais dos seus seguidores fiéis.

Aprenda como investir em ações passo a passo

Como investir em ações na bolsa de valores em 10 passos simples
Como investir em ações na bolsa de valores em 10 passos simples

Saber como investir em ações na Bolsa pode parecer complicado à princípio. Neste guia você entenderá, de forma prática e objetiva, como ganhar dinheiro na Bolsa de Valores e alcançar o sucesso dos seus investimentos.

Para investir na Bolsa de Valores você precisa:

  1. Escolher uma boa corretora de valores
  2. Abrir uma conta de investimento
  3. Transferir o dinheiro
  4. Definir seus objetivos
  5. Traçar seu plano de investimento
  6. Escolher as ações
  7. Acessar o Home Broker
  8. Enviar sua ordem de compra
  9. Acompanhar a valorização
  10. Realizar os lucros

Para investir em ações na Bolsa de Valores você precisa abrir conta em uma corretora e transferir o dinheiro. Então, basta comprar as ações escolhidas através do Home Broker. Quando as ações se valorizarem, você vende e recebe os lucros.

O risco nesse tipo de investimento é que não ocorra o que você esperava e a ação se desvalorize. Mas fique tranquilo, pois existem diversas estratégias para minimizar este risco. Você também pode contar com a ajuda de analistas experientes no mercado, orientando como escolher as melhores oportunidades e como comprar ações e vendê-las na hora certa.

 

O principal custo no investimento em ações é a taxa de corretagem, que você paga diretamente para a corretora. Este valor é pago cada vez que você compra ou vende uma ação.

 

Embora seja um passo a passo bem simples para investir em ações, você precisa tomar algumas decisões e saber o momento certo de agir. Mas sabia que você não precisa fazer isso sozinho?

A equipe de analistas acompanha o mercado em tempo integral, atenta a qualquer oportunidade. Portanto, eles têm completo domínio sobre o momento exato de comprar e vender cada ação. E, para facilitar a sua vida e te colocar ao lado da maior probabilidade, eles te enviam essas recomendações em tempo real.

 

É isso mesmo! No momento em que surgir uma boa oportunidade no mercado, um analista te manda uma recomendação para comprar. Quando for a hora de encerrar a operação, ele te envia uma recomendação para vender.

 

Capítulo 1

O que são ações

Uma empresa é formada por um conjunto de ações. Sendo assim, cada ação é um pedaço dela. Quando você compra uma ou mais ações você se torna sócio daquela empresa, tendo direito a receber parte de seus lucros e, algumas vezes, votar em suas assembleias.

Capítulo 2

O que é a Bolsa de Valores

A Bolsa de Valores é o ambiente onde acontece essa troca de ações. Sua função é garantir que as negociações sejam realizadas de uma forma segura, eficiente e justa, e que você receba as ações quando comprar e o dinheiro quando vender. Ela também tem a função de guardar as suas ações em segurança.

A Bolsa de Valores do Brasil é a BM&F Bovespa e você pode pensar nela como aquela cena famosa de gritaria, mas isso não existe mais. Hoje em dia, as negociações são feitas de forma 100% eletrônica e automática.

O início dessa negociação é o IPO, que é a Oferta Pública Inicial. O IPO é quando uma empresa oferece suas ações pela primeira vez na Bolsa, em troca de capital para continuar crescendo. A partir daí temos duas situações:

  • Mercado Primário: É quando o investidor compra ações diretamente das empresas, portanto as ações vão para o investidor e quem recebe o dinheiro é a própria empresa.
  • Mercado Secundário: É quando as ações passam a ser negociadas entre os investidores e você compra ações de outro investidor. Neste caso, o dinheiro não vai mais para a empresa.

 

É no mercado secundário que acontece a maioria das negociações. Por isso, você precisa entender o mercado para saber como investir na Bolsa de Valores de uma forma segura e rentável.

 

Saber como comprar ações com bom potencial de retorno pode parecer complicado, mas não se preocupe, existem diversas estratégias pra isso e você não precisa tomar todas as decisões sozinho.

Como investir na Bolsa de Valores

A  solução completa que vai te ajudar  a entender como ganhar dinheiro na Bolsa de uma forma segura. Através dela você poderá aprender tudo sobre a Bolsa de Valores e terá uma equipe experiente de analistas, que acompanham o mercado diariamente, prontos para te dar a melhor orientação quanto aos seus investimentos.

Além de tirar qualquer dúvida que você tiver, eles irão te colocar à frente na corrida pelos bons resultados, identificando as melhores oportunidades da Bolsa e recomendando a hora certa de comprar e vender cada ação.

Dessa forma você não precisa se preocupar em monitorar o mercado o tempo todo, porque nós fazemos isso pra você!

Capítulo 3

Vantagens de aprender como investir na Bolsa de Valores

Não é difícil perceber como investir em ações na Bolsa de Valores oferece o maior potencial de retorno do mercado. E embora investir na Bolsa de Valores ainda não faça parte da cultura do brasileiro, o perfil dos investidores está mudando.

 

A quantidade de investidores na BM&F Bovespa, em 2002 era de 85.249 pessoas. Em 2016, já eram quase 560.000 investidores na Bolsa brasileira.

 

E a razão disso é clara: A Bolsa de Valores foi o melhor investimento de 2016. Em vista da inflação e comparado com outros investimentos, o Ibovespa teve uma rentabilidade de mais de 25% superior ao melhor título de renda fixa. E o mais importante: rentabilidade de mais de 32% acima da inflação.

 

ibovespa-tesouro-poupanca-comparacao.jpg?width=650&name=ibovespa-tesouro-poupanca-comparacao
ibovespa-tesouro-poupanca-comparacao.jpg?width=650&name=ibovespa-tesouro-poupanca-comparacao

Mas como investir na Bolsa de Valores pode realmente afetar a sua vida?

A Bolsa de Valores é um lugar onde você pode sonhar grande. Onde você tem a chance de realizar sonhos que, à princípio, podem parecer muito difíceis, como viajar pelo mundo, comprar uma casa na praia ou até mesmo viver dos seus investimentos.

E você não precisa ser nenhum milionário para investir em ações e multiplicar o seu capital de uma forma fantástica. Com estratégia e disciplina, você pode atingir objetivos que antes pareciam impossíveis. E as grandes vantagens são que:

  • Você não precisa de muito dinheiro para começar a investir.
  • Não tem carência, você pode retirar seu dinheiro quando quiser ou precisar.
  • Tem um bom potencial de retorno a longo prazo.
  • Você também pode alcançar grande rentabilidade no curto prazo e ter um retorno mais rápido.
  • Você pode receber dividendos como participação no lucro das empresas.
  • É possível alugar suas ações e receber um valor extra.
  • A tributação do Imposto de Renda, na maioria das vezes, é menor do que na renda fixa, e você fica isento caso venda menos de R$ 20.000 em ações por mês.
  • Você pode ganhar na Bolsa até mesmo com a queda de uma ação.

Para seu próximo ato, a estrela pop se tornará a primeira mulher negra responsável por uma grande casa de moda de luxo em Paris. Aqui, ela dá um primeiro toque exclusivo.

FENTY. FENTY. FENTY. Se você é fã da Rihanna há tempos, provavelmente sente saudades da Rihanna-cantora, e também provavelmente está um pouco cansado de tanta Rihanna-empresária que vemos com uma frequência ainda maior que gostaríamos. Esta entrevista é pra você.

Rihanna há tempos
Rihanna há tempos

As legendas da entrevista abaixo são: Jeremy Harris para “JH” e Rihanna Fenty para “RF”. Adicionamos algumas informações extras em azul, pra quem possa estar perdido.

Jeremy O. Harris: O que você aprecia desde que se mudou para Londres? [Rihanna se mudou este ano]

Rihanna Fenty: Andar pelo quarteirão.

Jeremy O. Harris: Espere, você pode andar pelo quarteirão? Porque aqui, eles teriam que fechar tudo.

Rihanna Fenty: Não! Este não é um dia normal em Londres. É feriado bancário. Todo mundo viajou. É uma loucura.

Jeremy O. Harris: As pessoas reconhecem você?

Rihanna Fenty: Quando vou andando, tento passar despercebida.

Jeremy O. Harris: Bem, você é Rihanna. O que me leva à minha primeira pergunta: o que o atrai a colaborar com uma empresa como a LVMH? Eu sinto que você é tão grande quanto a LVMH, se não maior. [LVMH é um grupo que tem empresas como Louis Vuitton, Dior e outras, e agora é parceira da nova marca da Rihanna, “Fenty”. Veja mais aqui.] Rihanna Fenty: Uau. Isso é meio louco de dizer.

Jeremy O. Harris: Mas é verdade. Números não mentem. [Uma referência a um tweet antigo de Rihanna, falando que números não mentem. Veja aqui.]

Rihanna Steals Show at 2019 Crop Over Festival in Barbados | Time
Rihanna Steals Show at 2019 Crop Over Festival in Barbados

Rihanna Fenty: Eu tenho evoluído lentamente por todo o mundo da moda. Primeiro usar, comprar, ser reconhecida pelo meu estilo e depois colaborar com as marcas. Eu nunca quis colocar meu nome em algo e vender minha licença. Eu sou muito prática, então eu queria ir devagar e ganhar respeito como designer. Eu já tinha um relacionamento com eles depois da campanha de Versailles [em 2015] e da linha de maquiagem, então eles estenderam a oferta para mim e foi óbvio porque a LVMH é uma máquina. Bernard Arnault [presidente da marca] estava tão empolgado; ele confiava em mim e na minha visão.

Jeremy O. Harris: Quando eles vieram até você com isso, fez parte do seu pensamento, tipo, “eu vou ser a primeira mulher negra a fazer isso?”

Rihanna Fenty: Não, e eu nem sabia disso até meses de relacionamento, quando Jahleel [Diretor de Estilo da marca Fenty] chamou minha atenção. E eu fiquei tipo: “Você tem certeza disso? Você fez sua pesquisa? Porque eu não quero declarar uma alegação que é apelativa.” Porque eu ainda não conseguia acreditar. Isso me fez sentir orgulhosa.

Jeremy O. Harris: é território não explorado. Quais modelos você tinha – ou estava simplesmente indo de uma tarefa para outra?

Rihanna Fenty: Eu não tive esses sonhos quando era pequena. Eu tive um sonho de fazer música; é isso aí. Eu nem sequer pensei sobre a parte da fama, e então isso aconteceu, e é tipo: “Eu realmente gosto disso? Quanto eu realmente amo música com a qual estou lidando com isso? ”Então o comentários de que eu só tinha um hit veio à tona e colocou fogo na minha bunda, e eu nunca parei de trabalhar. Toda vez que era sobre me desafiar: eu tenho que fazer melhor, eu tenho que fazer melhor. E o que vem a seguir, o que vem a seguir? Eu ganhei um Grammy [em 2008] e isso foi segundos no meu passado assim que chegou em minhas mãos. Eu tenho que pensar na próxima coisa, o que é terrível porque as pessoas devem viver no momento. Eu comecei a ramificar em diferentes lojas criativas. Isso é o que me faz feliz.

Jeremy O. Harris: Algo que um dos meus mentores, o dramaturgo Branden Jacobs-Jenkins, disse para mim é: “Nunca deixe ninguém te roubar o seu direito de falhar.”

Rihanna to launch luxury fashion house with LVMH
Rihanna to launch luxury fashion house with LVMH

Rihanna Fenty: Você sabe o que é louco, eu tenho uma tatuagem que está escrita para trás para que eu possa ler no espelho: “Nunca um fracasso. Sempre uma lição.” [Confira todas as tatuagens aqui] Então o que você acabou de dizer é, como, boom! Como você vai aprender sem cometer erros? Você acreditou em sua mãe quando ela disse: “Não toque no ferro”?

Jeremy O. Harris: Não! Nenhum de nós acreditou.

Rihanna Fenty: Você teve que tocá-lo, certo? Você teve que se queimar.

Jeremy O. Harris: Que lições você acha que poderia aprender se esse projeto Fenty falhasse?

Rihanna Fenty: Tantos, porque é o começo de um novo mundo. Tudo foi uma colaboração, então eu pluguei meu DNA no deles, mas já havia um projeto. Estou aprendendo muito: sobre a alfaiataria, o tecido – estou vendo tecidos que nunca vi na vida.

Jeremy O. Harris: Quais são alguns desses tecidos?

Rihanna Fenty: Um deles é chamado de “weapon” [um tecido de lona de algodão]. Foi nisso que acabamos fazendo nossos ternos. Até mesmo fazer roupas de luxo é diferente. Todas as técnicas são ridículas.

Jeremy O. Harris: Quero dizer, tudo isso em seus vestidos é…

Rihanna Fenty: Eu amo um espartilho. Colocamos um espartilho em um terno, um vestido, uma camisa, uma jaqueta jeans e um vestido de camiseta.

Jeremy O. Harris: É tão feminino. Mas você está usando formas tradicionalmente masculinas (o terno, o casaco de trabalho) para contar uma narrativa complexa sobre a pessoa Fenty. Qual é a relação da pessoa com a masculinidade e a feminilidade?

Rihanna Fenty: Eu me uso como musa. É calça de moletom com pérolas, ou uma jaqueta jeans masculina com um espartilho. Eu sinto que vivemos em um mundo onde as pessoas estão abraçando cada pedaço de quem elas são. Olhe para Jaden Smith [filho de Will Smith],  Childish Gambino.

Jeremy O. Harris: Para mim, parte de ser Rihanna é rebolar em um iate e saindo de um bar com uma taça de vinho. Você é como um moderno Dionísio, uma deusa da festa, o movimento. Isso parece verdade para você agora como a musa da Fenty?

Rihanna Fenty: Houve uma grande evolução nessa festa. No começo, era apenas minha cultura, minha vida. E agora, a festa, acredite ou não, está no trabalho. Eu não saio. Eu vou para um jantar. Eu tento me divertir tanto quanto posso durante o trabalho. E mesmo depois do trabalho, quando estou literalmente na minha cozinha tomando uma bebida, convido toda a minha equipe. E nós ainda trabalhamos.

Jeremy O. Harris: Você acha que essa capacidade de festejar com sua equipe vem do fato de seus associados e funcionários, conhecidos como #TheCorp [Melissa, Jenn, Jay Brown, Kristina e outros], serem como família?

Rihanna Fenty: Eu os vejo mais do que minha família e passo a maior parte da minha vida com eles. Torna-se amizade primeiro, e depois leva à família porque nos apoiamos um no outro. Tenho certeza de que é muito diferente de qualquer outro relacionamento entre patrão e funcionário.

Jeremy O. Harris: Usar seu nome de família como âncora desta empresa e Fenty Beauty parece lembrar a ideia de uma empresa familiar. O que estava por trás dessa escolha?

Rihanna Fenty: Eu costumava ter medo de entrar no mundo da maquiagem de celebridades. Vi marcas como Hilary Duff e Hannah Montana terem tanto sucesso [no auge], mas chegou a um ponto em que elas estavam tão saturadas no mercado que diluíam suas marcas pessoais. Isso me fez pensar: “Eu não vou fazer isso, porque você perde o seu respeito e credibilidade”, e assim toda colaboração que eu fiz fora da música, eu usei Fenty para que você não tivesse que ouvir a palavra “Rihanna Toda vez que você viu algo que eu fiz. Então Rihanna ficou a música, a pessoa. Mas essas outras marcas são chamadas de Fenty.

Jeremy O. Harris: Você sabe de onde vem seu sobrenome? Eu pesquisei.

Rihanna Fenty: Realmente? Você está prestes a me ensinar algo sobre mim mesmo. É irlandês?

Jeremy O. Harris: Não, é espanhol e português. Deriva da palavra “infante”, um título para os filhos da realeza. Rihanna Fenty: Saia daqui!

Jeremy O. Harris: É um nome medieval. Rihanna Fenty: Isso está me derrubando.

Jeremy O. Harris: Isso te derruba porque Fenty abre tantas portas? Como você está olhando para dar espaço a essa mesa de design de luxo para outros estilistas negros, marrons e femininos?

Rihanna Fenty: Eu gosto de pensar no meu estabelecimento na casa Fenty como uma ponte. Então, estou sempre olhando para as coleções de pós-graduação, que estão prestes a deixar a faculdade, o que querem daqui um ano. E nós fizemos isso com alguns jovens designers e alguns novos que estão chegando. Mesmo que você nunca tenha criado algo em sua vida, você pode ter um gosto impecável: estou dando as boas vindas à visão de todos aqui, porque é isso que vai levar. Eu não posso pensar que sei tudo. Eu sou muito inteligente com o meu maníaco por controle – um maníaco pelo controle inteligente. Eu recebo com prazer a experiência de outras pessoas. Eu amo novos talentos jovens.

Jeremy O. Harris: Quem foi realmente generoso em compartilhar conhecimento com você?

Rihanna Fenty: Jay Brown, meu empresário que começou como meu A&R [abreviação para Artista e Repertório]. Ele é uma figura paterna na minha vida.

Jeremy O. Harris: Jahleel disse que quando você o contratou, deu a ele “seus papéis de liberdade”. Ele está livre para percorrer a sede da LVMH em Paris e ser quem ele quer ser. De onde vem essa liberdade? De ser afiliado a você?

Rihanna Fenty: Não, porque mesmo dentro de ser Rihanna, essa liberdade não existiu por um tempo. “Good Girl Gone Bad” é onde eu comecei a tomar as rédeas: “Eu vou fazer o que eu quiser, eu estou tomando o controle da minha visão, meu som, minhas roupas.” o caminho — coisas que me fazem uma mulher melhor, um ser humano melhor. Tipo, até o jeito que eu me comunico: estou muito orgulhoso do meu crescimento nisso. Tenho orgulho de entrar em qualquer prédio como essa pessoa. Nada sobre mim me deixa envergonhado por causa de mim.

Jeremy O. Harris: Você fez uma entrevista em 2012, onde disse que costumava mudar sua voz em reuniões de negócios. Essa foi uma das pressões que você sentiu naquela época, para ser um certo tipo de mulher da ilha na sociedade americana?

Rihanna Fenty: Não, essa foi a pressão que senti desde o salto, com “Music of the Sun.” Estou caminhando para um novo mundo, uma nova indústria, com pessoas que têm feito isso para sempre. Eu vim literalmente de uma rocha no oceano.

Jeremy O. Harris: Você tinha 15 anos!

Rihanna Fenty: Certo. Você não sabe nada então. Então você só aceita o conselho dessas pessoas e percebe: “Este não é quem eu sou”. Foi a pressão de se sentir seguro em uma caixa. Eu nunca gostei desse sentimento, e assim eu cresci fora dessa caixa quando eu não aguentava mais, e eu apenas fui para ela.

Jeremy O. Harris: “Good Girl Gone Bad” é seu álbum favorito?

Rihanna Fenty: Não, porque isso foi uma transição. Eu não sei qual é o meu álbum favorito – eu tenho certeza que se eu colocar todas as minhas músicas favoritas juntas, seria um álbum realmente doentio. Talvez eu deva fazer isso um dia.

Jeremy O. Harris: Você deveria trolar seus fãs fazendo isso. Algo como “Novo álbum, pessoal!”

Rihanna Fenty: Eles me odiariam. Eles me matariam. [Sim! rs]

Jeremy O. Harris: Eu não estou na Navy, mas sou próximo. Então eu tenho que fazer algumas perguntas que eu vi flutuando por aí.

Rihanna Fenty: O.K. [Risos]

Jeremy O. Harris: É verdade que você está fazendo um álbum de reggae?

Rihanna Fenty: Sim!

Jeremy O. Harris: Mesmo? O.K., você está colaborando com Lady Gaga?

Rihanna Fenty: Não. Jeremy O. Harris: Ah, eles acham que você está colaborando com Lady Gaga.

Rihanna Fenty: Talvez porque ela me seguiu no Instagram. Não está nos planos agora, mas eu não sou contra isso.

Jeremy O. Harris: Você vai colaborar com Drake novamente?

Rihanna Fenty: Não tão cedo, eu não vejo isso acontecendo. Não neste álbum, com certeza.

Jeremy O. Harris: Como o álbum é chamado? Rihanna Fenty: Hm, ainda não sei.

Jeremy O. Harris: Se você ainda não sabe, provavelmente não sabe quando sairá?

Rihanna Fenty: Eu não sei. Jeremy O. Harris: Você tem algum nome em consideração?

Rihanna Fenty: Não, até agora foi apenas “R9”, graças à Navy. [‘R9’ porque será o nono álbum de estúdio de Rihanna] Estou prestes a chamá-lo assim, provavelmente, porque eles me assombraram com esse “R9, R9, quando o R9 está saindo?” Como vou aceitar outro nome depois que ele foi queimado no meu crânio?

Jeremy O. Harris: É esse presente para os fãs que mais esperam por isso.

Rihanna Fenty: Isso seria fofo.

Jeremy O. Harris: Você é uma das nossas únicas pop stars imigrantes na América, sendo o 21 Savage outro. Ter vindo de uma ilha que é 90% negra faz com que pareça natural ter 40 tons distintos na primeira edição do Fenty Beauty?

Rihanna Fenty: Na minha própria casa, meu pai é meio negro, meio branco. Minha mãe é negra da América do Sul. Eu estava vendo diversidade. Isso é tudo que eu sabia. Crescendo, eu queria ser mais negra, sempre. Então, fazendo maquiagem, não era nem uma coisa que eu tinha que pensar. Eu nem sabia o quanto era ruim, o vazio no mercado de bases escuras, porque tudo o que eu vi eram mulheres negras fazendo maquiagem. Eu nem acho que 40 tons são suficientes! Então eu adicionei 10 mais recentemente, e não vamos parar por aí.

Jeremy O. Harris: Há alguns anos, você começou a fazer uma jornada “com curvas”. Como isso mudou a maneira como você observou a inclusão em relação à sua linha de moda?

Rihanna Fenty: Apenas mudou como eu me visto em termos de minhas proporções. Você usa o que fica bem em você e é isso. Eu sou mais cheinha e com curvas agora, então se eu não posso usar minhas próprias coisas, quero dizer, isso não vai funcionar, certo? E meu tamanho não é o maior tamanho. Na verdade, está mais perto do menor tamanho que temos: chegamos a um [tamanho francês] 46. Estamos dizendo que podemos encontrar o seu tamanho a qualquer ponto.

Jeremy O. Harris: Vamos falar sobre esses lançamentos mensais, que é um dos aspectos inovadores disso: a Fenty lançará vários itens novos – do básico para peças especiais – exclusivamente em seu site. Como surgiu o modelo de distribuição?

Rihanna Fenty: Porque eu sou uma geração do milênio, sabe? As pessoas estão sempre procurando o que ainda não está on-line. E como consumidora, eu odeio ver algo na passarela e depois ter que esperar seis meses por isso. Eu tive que esperar todo esse tempo para conseguir. Será que eu…

Jeremy O. Harris: Ama ainda mais?

Rihanna Fenty: Sim! Então, com isso, você vê, você ama, você pode ter. Eu quero ser o mais disruptiva possível. A marca não é tradicional. Não há desfile. É uma nova maneira de fazer as coisas porque acredito que é aí que a moda vai eventualmente.

Jeremy O. Harris: Havia algum nó branco nos escritórios da LVMH quando você apresentou este modelo de distribuição? A tradição é um dos principais pilares dessa empresa.

Rihanna Fenty: Acredite ou não, é a coisa que realmente empolgou o Sr. Arnault. Ele não começou uma marca do zero por um tempo. É o bebê dele também. Ele é tão prático, que valida como eu lidei com as coisas.

Jeremy O. Harris: Jahleel disse que a marca Fenty está sendo lançado como um monte de singles que somam um álbum.

Rihanna Fenty: Essa é uma analogia fofa.

Jeremy O. Harris: Qual você acha que é a vibe do primeiro single? [analogia para o primeiro produto]

Rihanna Fenty: O primeiro single é realmente forte e ousado, comparado com o lançamento logo depois, que é um pouco mais feminino. Mas o primeiro, há muitas peças clássicas também.

Jeremy O. Harris: Eu acho que você tem o seu vestido preto Fenty por aí, com as aberturas e ombro alto.

Rihanna Fenty: Eu vejo muitas dessas peças como peças clássicas. Eles não vão sair de moda.

Jeremy O. Harris: O que está inspirando você enquanto se prepara para os próximos lançamentos?

Rihanna Fenty: Cartões Postais ou livretos gratuitos em hotéis em Barbados há anos: você verá alguns deles em nossas camisetas. Há também essas impressões que parecem realmente pinturas antigas das quais estamos tirando vestidos e ternos de saia.

Jeremy O. Harris: Com todas essas peças, quem mais você acha que está conversando com elas? O que os compradores devem comparar com a marca Fenty?

Rihanna Fenty: Eu não me importo com o que você compara. O que você quiser. Você sabe, quando eu era mais jovem, eu não podia pagar tudo, exceto um par de Timberlands: Essa era minha Dior. E eu tive que poupar meu dinheiro por um ano letivo inteiro para conseguir aqueles Timberlands que eu queria, e eu fiz isso. Agora, se seu armário está cheio de Dior, vá em frente, compare Fenty com isso. Mas você pode ter alguns tênis Balenciaga e um ajuste ‘Fashion Nova’ que minha jaqueta super combina.

Jeremy O. Harris: Então aquela garotinha que está economizando dinheiro para o Timberlands, o que você diz a ela agora?

Rihanna Fenty: É isso que me faz perguntar: quanto vai custar no varejo? Como podemos reduzir o preço sem comprometer a qualidade? [Os preços dos itens Fenty custarão entre 200 e 1500 dólares]

Jeremy O. Harris: Eu não consigo superar o fato de que, você sabe, a indústria da moda é historicamente tão explicitamente branca, tão racista, tão classista e tão sexista. Houve momentos em que, como mulher negra, você se sentiu como uma pessoa de fora nesse espaço? Ou ser Rihanna alivia isso?

Rihanna Fenty: Nunca é aliviante  sabe? Você vai ser negro aonde quer que vá. E eu não sei se é lamentável ou se é sorte, porque eu amo ser negro. Então, desculpe por aqueles que não gostam disso — essa é a primeira coisa que você vê antes mesmo de ouvir minha voz. Há também outros fatores: sou jovem. Eu sou novo na família. Eu sou uma mulher. Esses fatores entram em jogo, mas não vou me desculpar por eles, e não vou desistir de ser mulher, de ser negra, de ter uma opinião. Estou dirigindo uma empresa e é exatamente isso que vim fazer aqui. Eu não sei se isso deixa as pessoas desconfortáveis ou não, mas isso nem é da minha conta, sabe? Eu sei que o motivo de eu estar aqui não é porque sou negro. É por causa do que tenho para oferecer. É nisso que eles investem. E o fato de eu ser negro é apenas isso: um fato.

Jeremy O. Harris: Eu sinto que a sua capacidade de assumir essa luta parece tão grata à sua mãe, Mônica, porque você costuma discutir como ela está mais orgulhosa de você quando você se levanta. Eu me pergunto, alguma coisa a surpreende agora?

Rihanna Fenty: Quando eu contei a ela sobre a LVMH, ela simplesmente não conseguia acreditar. Ela disse: “Oh Deus, glória, glória a Deus”. Ela é tão orgulhosa, tão feliz, e ainda está se beliscando. Ela carrega minha maquiagem em sua loja em Barbados. É um círculo completo, porque foi ela quem me trouxe para a loja de departamentos depois da escola – toda aquela maquiagem, foi divertido.

Jeremy O. Harris: Eu estava aos pés da minha mãe em um salão de cabeleireiro. Eu sei que ela gostaria de saber: Você tem cabelos Fenty vindo?

Rihanna Fenty: Assim que eu estiver pronta para desistir das duas horas de sono que recebo agora, aí vou para os cabelos. Você sabe que não estamos parando por aqui.

Jeremy O. Harris: Como dramaturgo, tenho que perguntar: você atuará de novo? Pegaria “Nasce Uma Estrela?”

Rihanna Fenty: Provavelmente vou tentar um pouco mais, mas não até saber que posso lidar com um papel principal e levar um filme por conta própria, porque me já ofereceram…

Jeremy O. Harris: tenho certeza.

Rihanna Fenty: Eu sempre falo: “Gente, obrigado por confiar em mim, mas a Angelina Jolie está lá.”

Jeremy O. Harris: Do que mais você tem medo? Você sente medo, aliás?

Rihanna Fenty: Eu tenho medo de ter medo, porque sei que isso significa que tem algo errado. Se sinto medo, isso significa que não está certo.

Jeremy O. Harris: Você sentiu medo de trabalhar com LVMH e Arnault?

Rihanna Fenty: Não, eu sinto essa pressão para não decepcionar Arnault. Eu senti que este é um momento da história que eu tenho que viver. Essa é minha chance e eu só tenho uma chance para fazer isso e não pode dar errado. Mas eu tive medo uma vez na vida, não consigo me lembrar exatamente sobre o quê: eu me lembro da minha mãe dizendo, “Eu vejo algo em seus olhos que eu nunca vi antes.” E eu fiquei tipo “O que ?” E ela estava tipo, “medo.” E eu comecei a chorar. Então, toda vez que eu sinto aquela ansiedade, eu literalmente tento empurrá-la de volta para o nada.

Jeremy O. Harris: Você visualiza isso. Antes de ir, uma última pergunta: quando você vai tirar férias de tudo isso? Será quando você ganhar dinheiro suficiente – existe um número em sua mente?

Rihanna Fenty: Eu nunca pensei que ganharia tanto dinheiro, então um número não vai me impedir de trabalhar. Eu não estou sendo impulsionada por dinheiro agora. O dinheiro está acontecendo ao longo do caminho, mas estou trabalhando naquilo que amo fazer, no que sou apaixonada. O trabalho mudará quando minha vida mudar no futuro, mas uma quantia em dinheiro não vai impedir isso.

Jeremy O. Harris: Se o dinheiro não está guiando o trabalho, o que o dinheiro significa, então?

Rihanna Fenty: O dinheiro significa que eu posso cuidar da minha família. O dinheiro significa que eu posso facilitar as empresas que eu quero. Eu posso criar empregos para outras pessoas. Meu dinheiro não é para mim; é sempre o pensamento de que posso ajudar alguém ou, no futuro, se tiver filhos. O mundo pode realmente fazer você acreditar que as coisas erradas são prioritárias, e isso faz com que você realmente sinta falta do núcleo da vida, o que significa estar vivo. Poderia literalmente estar andando ao sol. Isso me faz feliz. Como ir ao supermercado — você sabe, há um pequeno mercado jamaicano perto de onde eu moro agora.

O novo O Rei Leão, remake do clássico de 1994, ultrapassou o novo A Bela e a Fera e se tornou o “live-action” da Disney que mais fatutorou em bilheteria em todos os tempos, com mais de US$ 1,3 bilhão no mundo.

Apesar da polêmica sobre ser de fato um filme live-action, já que não utiliza atores em carne osso na tela, mas computação gráfica, O Rei Leão já está à frente de todas as releituras recentes do estúdio.

Veja abaixo o top 5:

• O Rei Leão (2019) – US$ 1,334 bilhão

• A Bela e a Fera (2017) – US$ 1,263 bilhão

• Aladdin (2019) – US$ 1,035 bilhão

• Alice no País das Maravilhas (2010) – US$ 1,025 bilhão

• Mogli: O Menino Lobo (2016) – US$ 966 milhões

Vale lembrar que os números, apesar de recentes, não consideram a variação da inflação no período, o que pode afetar a ordem do ranking. Dirigida por Jon Favreau, a nova versão de O Rei Leão estreou no dia 18 de julho no Brasil e, por aqui, também vem liderando as bilheterias.