Dicas de como melhorar a segurança alimentar do seu restaurante

Dicas de como melhorar a segurança alimentar do seu negócio

por Gizella Almeida Silva

Para gerir um restaurante bem sucedido é primordial pensar na alimentação segura dele, ou seja, estabelecer regras e tomar atitudes que preservem a saúde da sua equipe e dos seus clientes, pois comida é coisa séria.

Não dá pra economizar recursos quando o assunto é segurança alimentar. É ela que, no fim das contas, determina a longevidade do seu empreendimento. 

Afinal, ninguém volta a um restaurante se passou mal quando foi nele pela primeira vez.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) é o órgão que cuida da fiscalização de estabelecimentos alimentares em todo o país. Ela possui normas que indicam o que cada estabelecimento deve fazer para ter um funcionamento pleno. 

Continue lendo para conhecê-las.

Normas da ANVISA

Leia abaixo algumas normas da ANVISA para ficar por dentro das expectativas que seu restaurante deve atender.

Manual de Conduta

Você precisa criar um manual de conduta com detalhes sobre:

  • Rotina de limpeza;
  • Tipos de comidas;
  • Duração da jornada de trabalho;
  • Armazenamento de alimentos;
  • Frequência de higienização de mãos;
  • Rotina de retirada do lixo.

Documentos

Existe uma série de documentos obrigatórios para regularizar o funcionamento do seu restaurante. São eles:

  • Alvará da prefeitura;
  • Alvará da Vigilância Sanitária;
  • Alvará do Corpo de Bombeiros;
  • CNPJ;
  • Comprovante de manutenção dos equipamentos;
  • Registro da temperatura de geladeiras e congeladores.

Lembrando que os alvarás devem estar sempre em local visível.

Limpeza da cozinha

A limpeza da cozinha deve ser diária e minuciosa. Fogões, balcões e utensílios precisam ser higienizados diariamente. Congeladores e geladeiras devem ser limpas semanalmente.

Contaminação cruzada

Contaminação cruzada é a transferência de germes e bactérias de um determinado local para outro. Engloba desde um fio de cabelo no alimento até reações químicas ao higienizar vegetais.

Práticas que previnem a contaminação cruzada: usar tábuas diferentes para cortar carne e manipular verduras, prestar atenção à temperatura ideal para o armazenamento de alimentos, observar a higiene da equipe do restaurante e usar lixeiras com pedal.

Essas são algumas das normas da ANVISA. Quer saber mais sobre como melhorar a segurança alimentar do seu restaurante? Continua lendo.

Formas de garantir segurança alimentar

O elemento principal da segurança alimentar de um restaurante é a cozinha onde os alimentos são preparados. 

Uma cozinha com climatizador para restaurante tem mais chances de ser aprovada pela Vigilância Sanitária.

Além disso, investindo em aparelhagem de qualidade você garante que o trabalho realizado no seu empreendimento vai ser de excelência.

A capacitação dos seus colaboradores é outro fator importante, pois são eles que vão manipular os alimentos e cuidar para que cada medida sanitária seja realizada.

O armazenamento de mantimentos deve ser bem pensado. Existem soluções práticas para essa questão, por exemplo, venda e instalação de aquecedor a gas para deixar o ambiente agradável aos alimentos.. 

Essa peça é comum em lojas de roupa, e também pode ser útil no seu restaurante.

É essencial que seu local de trabalho seja mantido limpa e livre de pragas. A segurança alimentar depende diretamente do controle dos ambientes, ainda mais quando envolve armazenamento e preparo de alimentos.

Essa atividade necessita de maquinário caro para ser bem realizada. Fazendo um curso de socorrista para cozinha, por exemplo, você pode ter mais condições de montar um ambiente de trabalho de ponta para seu empreendimento.

O alimento atrai microorganismos e insetos, é sabido. Mas, você pode tomar atitudes que previnam esses aparecimentos indesejados. 

Por isso, para garantir que seu restaurante fique livre de pragas, contrate os serviços de dedetização na qual uma administradora de condominios residenciais possa oferecer.

É importante lembrar que o restaurante não se limita apenas à cozinha, ou seja, todos os ambientes devem estar em ordem para receber clientes, tanto para causar boa impressão quanto para evitar contaminações, até mesmo os banheiros.

Outra forma de construir um ambiente seguro é entrar em contato com uma despachante em palhoça em caso de investimentos e burocracias na questão financeira. 

Limpeza e decoração devem andar lado a lado para despertar reações positivas. Com isso todos têm a ganhar: equipe e clientes.

A quantidade de trabalho diário pode impedir que seus colaboradores se dediquem à limpeza geral no fim do expediente. Se isso acontecer, contrate uma empresa de limpeza assim como empresas de construção de piscinas fazem. 

Sempre procure por empresas bem avaliadas e de confiança. Estimule visitas à cozinha do estabelecimento. Sem essa possibilidade, as chances de se cometer descuidos é maior. 

Mas, quando existe a possibilidade de clientes visitarem as instalações, os cuidados com a higiene redobram. Inclusive, esse é um direito do consumidor previsto por lei.

Toda a equipe deve trabalhar exclusivamente de uniforme. Uso de acessórios como brincos e chapéus podem causar contaminações. Além disso, uniformes são mais agradáveis esteticamente.

Já sabe como garantir a segurança alimentar do seu restaurante? Leia mais para descobrir outros benefícios dessa prática.

Segurança alimentar é bom para os negócios

Garantir a segurança alimentar do seu restaurante é bom para os negócios. Ela traz credibilidade e confiança para a empresa.

Caso você precise de serviço de contabilidade assim como produtos profissionais para salão de beleza atacado precisa, por exemplo, pode ter certeza de que observarão se o seu estabelecimento cumpre as normas da ANVISA antes de prestar o serviço em questão.

Da mesma forma, a chance de um estabelecimento dentro das normas conquistar clientela fiel é muito maior. Os clientes percebem quando entram em um ambiente bem cuidado, arejado e bem decorado.

Um verdadeiro gestor cuida de todas as etapas do seu negócio com cuidado e dedicação, não medindo esforços para atingir a excelência. Um restaurante é um organismo vivo que precisa de atitudes assertivas para prosperar.

No entanto, se deslizes passarem despercebidos e afetarem clientes, o que acontece? Leia mais a seguir.

Consequências da falta de segurança alimentar

Caso seu empreendimento não alcance as normas específicas de segurança alimentar, ele sofrerá consequências sérias.

Os clientes, a razão de ser do negócio, poderão sofrer danos à saúde, como contaminações, infecções e até mesmo morte, em casos mais graves.

Nesse caso, seu restaurante pode ser denunciado à ANVISA, e se a contaminação for comprovada pelo relatório epidemiológico, ele será interditado. 

Você serve um chá queima gordura no cardápio. Se uma pessoa pedir o chá e tiver dor de barriga depois de bebê-lo, já é motivo suficiente para que seu restaurante fique na mira da ANVISA. Fique sempre atento às normas. É como um seguro moto curitiba, por exemplo, que não presta consultoria da forma correta ao cliente, gerando reclamações.

O dano que um acontecimento desse tipo causa à reputação de um restaurante é difícil de recuperar. Por isso, não negligencie esse fator fundamental para o sucesso do seu empreendimento.

História da segurança alimentar no Brasil

O termo “higiene” ligado à saúde de trabalhadores de fábricas começa a aparecer na década de 1930. Em 1932, Josué de Castro realizou a pesquisa “As condições de vida das classes operárias no Nordeste”.

Em 1946, Josué de Castro publicou o livro “Geografia da Fome”, onde ele discute as carências nutricionais mais importantes de cada região do Brasil.

Em 1972 é criado o Instituto Nacional de Alimentação e Nutrição (INAN) para auxiliar o governo na elaboração da Política Nacional de Alimentação e Nutrição (PRONAN).

O PRONAN foi substituído pelo II PRONAN em 1976. O INAN foi extinto em 1997 para dar lugar à Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição.

Em 1993 é criado o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA). Um ano depois acontece a I Conferência Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Em 2003 inicia o programa Fome Zero e é criado o CONSEA Estadual. Um ano depois, surge o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome e o Bolsa Família.

Em 2010 é incluído na Constituição o Direito Humano à Alimentação Adequada e é criada uma nova Política Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional.

Em 2011 temos a IV Conferência Estadual de Segurança Alimentar e Nutricional com o tema “Alimentação Adequada e Saudável: Direito de Todos”.

Esses são alguns marcos da discussão e implementação de segurança alimentar e segurança nutricional no Brasil. Fica claro que o assunto é debatido há muitos anos.

Importante ressaltar que segurança alimentar e segurança nutricional são complementares, pois ambas dizem respeito à qualidade da alimentação de cada cidadão.

Um direito de todos

Com tudo isso em mente, agora ficou mais fácil compreender a importância desse tema para seu restaurante, não é mesmo? Não se esqueça de que segurança alimentar é um direito de todos, pois diz respeito à alimentação de qualidade e à saúde.

Mantenha seu estabelecimento limpo, capacite sua equipe e ofereça o serviço mais profissional possível: assim, você se manterá relevante no mercado e seu negócio alcançará longevidade.

Portanto, quando a proposta é alimentar, a saúde de quem se senta à mesa deve ser sempre prioridade. Não se esqueça disso.

Você pode gostar

العربية简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsРусскийEspañol