Entenda o 5G, lançado pela Anatel na maioria das capitais brasileiras

Segundo o edital do 5G, as capitais estão previstas para serem as primeiras localidades a terem a experiência completa com a tecnologia

por Gustavo Santos da Silva Resende

Nesta quarta-feira (6), a tecnologia 5G chega a Brasília, primeira cidade do país a experimentar a tecnologia “full 5G”, que é uma experiência completa desse sinal.

Segundo o assessor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Moisés Moreira, os próximos serão Belo Horizonte, Porto Alegre e São Paulo. Espera-se que todos os funcionários tenham a tecnologia lançada em 29 de setembro.
Hoje, em algumas cidades brasileiras, é utilizado o padrão Dynamic Spectrum Sharing (DSS), que, apesar de oferecer melhor qualidade, utiliza a frequência 4G existente, o que está acontecendo em muitos países, segundo a Ookla, empresa de análise de internet. acessar métricas de desempenho em todo o mundo.

Países com as tecnologias mais avançadas, chamadas de “standalone” (SA), “self-self” ou “puro” 5G, são poucos. Essa é a tecnologia que estará disponível em Brasília a partir desta quarta-feira.

Atualmente, o país 5G mais rápido é a Coreia do Sul, com uma taxa média de download de 406 megabiters por segundo. O 4G médio é de 17,1 megabits por segundo.

Agora, com a nova tecnologia começando no Brasil, entenda quais são as mudanças e quais são os benefícios para os usuários.

O que é a tecnologia 5G?
5G, ou o telefone móvel de quinta geração, é uma nova tecnologia de transferência de dados de rede que inclui dispositivos móveis. Segue as gerações anteriores, 4G, 3G, 2G e 1G.

Enquanto a tecnologia 1G tem velocidade de 2 kbits e tráfego garantido de 1 Gbits, o 5G terá velocidades de download de até 100 1 Gbits. Enquanto o atraso (diferença na resposta de transferência de dados) foi de 60 a 98 milissegundos em 4G, o 5G será reduzido para menos de 1 milissegundo.

A conectividade do dispositivo pode fechar até 1 milhão de dispositivos por milha quadrada.

Entre os recursos da nova tecnologia está a capacidade de permitir que os dispositivos sejam altamente conectados. Algo que continua a ser necessário tendo em vista o desenvolvimento da chamada “internet das coisas” e a crescente interconexão entre tecnologia e tecnologia,

Nesse caso, a velocidade aumentará com 5G. Dessa forma, será facilitado o uso de serviços sofisticados, como transferências de arquivos, comunicação em tempo real, streaming ou uso de jogos eletrônicos.

Em altas velocidades, a tecnologia reduz a latência (resposta de comunicação), permitindo que os dispositivos móveis processem informações mais rapidamente e ativem aplicativos em tempo real.

De acordo com o Departamento de Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC), o 5G é mais do que apenas melhor do que as gerações anteriores.

“As redes móveis 5G fornecerão serviços avançados de banda larga móvel, com taxas de dados mais altas, menor latência e capacidade adicional, o que permitirá maiores capacidades de rede sem fio”, disse uma estratégia brasileira de tecnologia. , consulta pública no ano passado.

Quais são as mudanças?
O 5G poderá suportar muitos tipos de aplicativos lucrativos. A partir de sistemas de pagamento, eles permitiram carros autônomos (operando sem motoristas), bem como outras soluções online para coisas que incluem sensores e monitoramento dentro ou fora de equipamentos (como monitoramento do uso de água ou semáforos).

Nos testes MCTIC, a tecnologia pode contribuir para a produtividade. “O 5G terá um papel fundamental no aumento das trocas de dados contínuas entre máquinas, instituições, humanos e robôs, permitindo o desenvolvimento de tecnologia avançada, produção integrada de sistemas ciberfísicos e comunicações máquina a máquina. conhecido como ‘Indústria 4.0′”, assinala o tema do documento de consulta da estratégia 5G, realizado no ano passado.

Outra preocupação que pode surgir entre os consumidores é o preço e se a nova tecnologia será muito cara para os consumidores. Em entrevista à CNN nesta terça-feira (5), o consultor e vice-presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Moisés Moreira, “a tecnologia deixará de ser cara para os usuários [4G]”.

No entanto, para os usuários, o Especialista em Tecnologia, Design e Tendências Arthur Igreja diz que é importante trocar de aparelho.

“Não é só a performance do sinal que vai causar alguma mudança, pois por ser uma banda separada, também exige uma antena diferente e seu processamento. Portanto, para que o usuário veja alguma alteração, ele precisa ter um celular 5G”.

Com relação aos benefícios da tecnologia, a Igreja enfatiza que as novas tecnologias aumentarão significativamente a velocidade, os aplicativos poderão ser baixados mais rapidamente, conteúdos mais pesados ​​como vídeo e áudio, videoconferência de maior qualidade, mensagens de texto mais rápidas.

“Um fator importante é o atraso do sinal, que é 5G relativamente baixo e permite o uso em tempo real em muitos setores da economia, como agricultura, saúde e educação, que tem um impacto dinâmico em todos os setores”. , ele explica.

A adoção de novas tecnologias já está nos planos do setor público. Segundo pesquisa realizada pelo IDC na América Latina, um total de 22% dos brasileiros pretendem migrar para o 5G nos próximos 12 meses, com o advento da tecnologia. Uma pesquisa nacional com mais de 3.000 pessoas na região, incluindo 723 no Brasil.

Você pode gostar

العربية简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsРусскийEspañol