Pix foi a forma de pagamento recordista em compras na internet em abril

Participação da ferramenta de pagamento instantâneo no comércio eletrônico passou dos 11% em abril de 2022 e também cresceu no 1º trimestre de 2022, na comparação com o mesmo período do ano passado

por Gustavo Santos da Silva Resende

Em abril, o número de pagamentos por Pix atingiu 11,5%, no comércio online, atingindo um marco desde que o método de pagamento rápido foi utilizado, em novembro de 2020. Em abril do ano passado, o Pix representava apenas 2,6% do pedido de e-commerce. .

A participação da receita da Pix aumenta com as vendas digitais e representa 4% da receita total no mesmo mês. O índice mais alto para 2022 e o segundo maior da história, só depois de dezembro de 2021, aponta para 4,2% – impulsionado pelas compras de Natal e Ano Novo.

A pesquisa foi realizada pela Neotrust, empresa de espionagem que monitora o comércio eletrônico brasileiro.
No 1º trimestre de 2022, a participação da Pix no e-commerce voltou a registrar o crescimento do número de empregos. Em janeiro deste ano, o Pix atingiu a meta de 8,3%; em fevereiro foi de 8,8%; e em março fechou em 9,7%. Nos três primeiros meses de 2021, o índice foi de 1,7%, 2,5% e 3,4% em janeiro, fevereiro e março, respectivamente.

“O Pix vem se desenvolvendo rapidamente como forma de pagamento online, e atualmente tem uma participação de mais de 10% das compras digitais no país. Apesar da enorme diferença de um ano para o outro, vimos a Pix ‘avançar mensalmente nos pagamentos de e-commerce desde abril de 2021”, analisa Paulina Dias, chefe de inteligência da Neotrust.

Segundo dados do Banco Central, de novembro de 2020 a maio deste ano, foram criadas mais de 454 milhões de chaves Pix (454.547.375). Até o momento, o Brasil tem mais de 128 milhões de usuários registrados (128.719.758).

Entre 16 de maio e 13 de junho deste ano, foram feitos pouco mais de R$ 746 bilhões (R$ 746.875,69 bilhões) por meio do Pix, que inclui ordens de pagamento e reembolso do período.

Juntar-se à Pix supera as expectativas da BC. Um novo formato de pagamento foi introduzido em novembro de 2020 com o objetivo de aumentar a eficiência, reduzir custos e aumentar o número de usuários do sistema financeiro. A ferramenta permite transferir recursos em segundos no seu celular a qualquer hora do dia. O programa é gratuito para pessoas físicas.

Paulina Dias, líder de espionagem da Neotrust, destaca alguns dos passos que o consumidor deve tomar ao fazer compras online. Uma delas é a sombra das lojas.

“Com o aumento das fraudes online, os consumidores precisam prestar mais atenção à integridade e reputação da loja antes de fazer compras digitais com a Pix. Promoções com preços mais baixos e ofertas com links anônimos podem indicar tentativas fraudulentas. É importante que o consumidor verifique os dados do vendedor, como CPF e CNPJ, e o preço antes de efetuar um pagamento com o Pix”, explica o líder de Inteligência da Neotrust.

Para aumentar a segurança dos meios de pagamento, o BC desenvolveu outras ferramentas, como o bloqueio preventivo e um método especial de recuperação, que visa auxiliar na recuperação de fraudes.

Você pode gostar

العربية简体中文NederlandsEnglishFrançaisDeutschItaliano日本語PortuguêsРусскийEspañol