| Agência de Publicidade e Marketing 360º

Mini carrinho

O Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) foi oficialmente adiado na tarde desta quarta-feira (20).

De acordo com a nota oficial divulgada hoje, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC), decidiram adiar a realização do exame “em 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais”. 

O cronograma já havia sofrido alterações em outubro, quando o Inep alterou a data da aplicação digital, que ocorreria nos dias 11 e 18 de outubro, para os dias 22 e 29 de novembro. 

Entretanto, diante do avanço da pandemia do novo Coronavírus, os estudantes, que estão com as aulas presenciais paralisadas desde março, reivindicaram o adiamento das provas, alegando que não é possível se preparem adequadamente. 

Ainda na terça, o Ministério da Educação, afirmou que consultaria em junho os inscritos sobre a possível alteração das datas, a partir da “página do participante” diretamente na plataforma de inscrição. Agora, frente a decisão favorável ao adiamento, votada ontem (19) no senado, o governo disse que irá realizar uma consulta com os participantes para definir as novas datas. 

As inscrições continuam abertas até às 23h59 do dia 22 de maio (sexta-feira).

Cronograma antigo 

A versão digital estava prevista para os dias 22 e 29 de novembro, já a prova tradicional aconteceria nos dia 1º e 8 de novembro.

Posicionamento do MEC e INEP 

NOTA OFICIAL | Adiamento do Enem 2020

“Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e o Ministério da Educação (MEC) decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais.

Para tanto, o Inep promoverá uma enquete direcionada aos inscritos do Enem 2020, a ser realizada em junho, por meio da Página do Participante. As inscrições para o exame seguem abertas até as 23h59 desta sexta-feira, 22 de maio.”

Minutos após Luiz Henrique Mandetta anunciar no Twitter a sua demissão, nesta quinta-feira, 16, a imprensa internacional começou a noticiar o acontecido. Os principais veículos destacaram a popularidade de Mandetta e o seu apelo em favor das medidas de isolamento social para conter a propagação da Covid-19 no Brasil, que já reportou 30.425 casos da doença e 1.924 mortes, segundo o Ministério.

Vários jornais internacionais publicaram a matéria, pelo fato de em meio a uma pandemia um Ministro da Saúde perder seu cargo.

Na América Latina, o argentino Clarín disse que a saída de Mandetta era “esperada, mas envolve enormes riscos políticos e de saúde, uma vez que o país deve entrar em breve no momento mais agudo da pandemia de coronavírus.”

Um jornal americano alega que a constante atenção dada pelos brasileiros ao embate entre o presidente e o ex-ministro ao longo desta semana ofuscou questões sobre a situação dos surtos da Covid-19 no país. “Dada a severamente limitada capacidade de testes no Brasil, acredita-se que os casos e as mortes estejam subnotificados significativamente. Mas grande parte do foco do país nos últimos dias estava na especulação generalizada de que Bolsonaro estava prestes a demitir Mandetta”.

Em meio ao surto de Coronavírus, muitas empresas de entretenimento e educação têm se mobilizado para incentivar as pessoas a permanecerem em casa.
Recentemente, a Udemy, plataforma de cursos online, disponibilizou alguns cursos na área da programação e tecnologia, gratuitamente para os usuários. Os cursos podem ser acessados pelo computador, dispositivos móveis e na TV.

Confira alguns dos cursos gratuitos:

Python 3 na Web com Django

Ionic 3 para iniciantes

HTML5 para quem não sabe nada de HTML5

Desenvolvedor Android Iniciante

Curso de C++ – Intermediário

Python para Iniciantes

C e C++ – Fundamentos Para Lógica de Programação

Unreal Engine 4 Essentials – Uma Introdução Detalhada

Criando Páginas Web com o GitHub Pages

Git e contribuições para projetos Open Source

Construa seu site em WordPress de forma simples e rápida

WordPress para Iniciantes

Curso React.js Ninja: Módulo React + Webpack

Aprenda rápido Unity3D

Introdução à Linguagem HTML

C++: Orientação a Objetos – Introdução

Algoritmos e Lógica de programação

Introdução à linguagem JavaScript

Minicurso Qlikview do Zero – Introdução ao Qlik!

Curso de Algoritmos e Lógica de Programação

Introdução à linguagem Python

Introdução à programação de computadores

Terminal Linux

Introdução ao Sistema Operacional Linux

Introdução a banco de dados com MySQL & PHPMyAdmin

Data Science: Visualização de Dados com Python

JavaScript e jQuery para Iniciantes

Introdução à linguagem JavaScript

Introdução à linguagem CSS

Introdução ao PHP orientado a objetos

Curso de programação com Perl para Bioinformática

Introdução à linguagem Python

Boas práticas em PHP

BLAST: Ferramenta de Alinhamentos Locais de Sequências

Modelagem comparativa de proteínas

Web Design com Adobe XD, Bootstrap, GIMP, HTML e Photoshop

Introdução à Criação de Sites Dinâmicos com PHP

Introdução à Linguagem HTML

Além da Udemy, outras empresas como a Claro, Sky e vivo, também se manifestaram e abriram o sinal de canais de televisão temporariamente para assinantes.
Outra empresa que também adotou essa medida, foi a Adobe.
Muitas instituições tiveram suas atividades suspensas, e optaram por dar continuidade ao conteúdo via internet. Dessa forma, a Adobe liberou o acesso também temporário ao Creative Cloud.
A iniciativa irá até dia 31 de maio, e atende tanto alunos do ensino superior, quanto do ensino básico, que usam os aplicativos da Creative Cloud nos computadores de suas respectivas escolas.
A solicitação só poderá ser feita através de um administrador de TI.
A Adobe também ofertará avaliações gratuitas de seus aplicativos por videoconferência (Adobe Connect), para escolas, empresas e agências governamentais, até 1º de julho.

 

Poucas pessoas conhecem o novo acordo ortográfico atualizado em 2016, pessoas essas que cometem erros em redações, vestibulares etc. Confira as novas regras de acentuações nas palavras.

1. Foi incluído as letras K,Y,W ao alfabeto brasileiro

Se você respondesse antes em uma aula de português que o alfabeto brasileiro era formado por 26 letras você estaria errado, pois antes do novo acordo feito em 2016 as letras k,y,w não eram incluídas ao alfabeto brasileiro.

2. O uso do trema foi abolido

O uso do trema no Brasil foi rejeitado no novo acordo ortográfico, o trema era visto nas palavras cujo a letra “u” depois do “g” era ouvida quando falada.

EX.: “Lingüiça

3. Ditongos abertos não acentuados

Ditongos abertos EI e OI não são mais acentuados de acordo com a nova ordem ortográfica.

EX.: “CORÉIA>COREIA” “JIBÓIA>JIBOIA”

4. Os hiatos OO e EE não são mais acentuados.

Palavras que contém os hiatos EE e OO eram acentuados, porém as novas regras eliminaram essas acentuações.

EX.: “ABENÇOO” “ZOO” “CREEM” “VEEM”

5.Abolição do acento diferencial em palavras homógrafas.

Palavras com grafias semelhantes chamadas palavras homógrafas, não são mais diferenciadas com acentuações.

EX.: “pêlo>pelo” “pára>para”

6. Não acentua-se a letra “u” nas formas:

Eram acentuadas as palavras “argui”, “averigue”, “enxague”, nessas formas eram acentuadas a letra “U”, mas de acordo com o novo acordo ortográfico foi abolido essa ideia.

7. O uso do Hífen.

A) Prefixo terminado em vogal diferente da vogal que inicia o segundo termo.

-> O HÍFEN NÃO É EMPREGADO: “coedição” “extraescolar“, “semiaberto

B) Segundo termo inicia com a letra “H”.

EX.: “Super-Homem”, “Anti-Higiênico”

C) Prefixo termina em vogal e o segundo começa com “R” ou “S”.

-> O HÍFEN NÃO É EMPREGADO E AS LETRAS SÃO DUPLICADAS: “Antessala“, “Ultrassom“, “Neorrealismo“.

D) Prefixo termina em vogal e a primeira letra do segundo termo começa com consoante diferente.

-> O HÍFEN NÃO É USADO: “Seminovo“, “Microcomputador“, “Semicírculo

E) Termina com a mesma vogal que começa a outra palavra.

->O HÍFEN É EMPREGADO : “Micro-ondas“, “Micro-ônibus“, “anti-inflamatório

F) Prefixo termina com a mesma consoante que começa o segundo termo.

->O HÍFEN É USADO : “inter-regional“, “inter-racial

G) Prefixo “RE” e o segundo termo começa com “E“.

->O HÍFEN É USADO : “re-editar” “re-eleição

H) Palavras com o prefixo “CO

->HÍFEN NÃO É USADO SE O SEGUNDO TERMO COMEÇA COM A LETRA “H” PERDE O “H” : “coabitante”

Abraham Weintraub, Ministro da Educação comete erros ortográficos na internet e internautas não perdoam, dizendo que “O Ministro da Educassão reprovaria no ENEM”

É fato que muita gente pode escorregar no português, nem sempre é fácil escrever de maneira correta, e ninguém quer se passar a ser conhecido como “chato da gramática” nas redes sociais,

Um dos erros de Weintraub foi fazer um post onde se colocaria contra uma série de fake news envolvendo seu nome. Nesse post ele diz que as fake news criadas contra ele comentava que ele incitava a violência. Porém ao escrever a palavra “incitaria” acabou trocando o “c” pelo “s”, formando a palavra “insitaria”.

Muitas críticas ao Ministro da Educação após esse post foi levantado, além disso foi levantado a hashtag “#ForaWeintraub” no Twitter, pois muitos acreditavam que ele não tem competência para representar a Educação.

Ligamos para Você!


Seu número de telefone não será usado para fins de marketing