| Agência de Publicidade e Marketing 360º

Mini carrinho

Se você trabalha com marketing digital, com certeza já ouviu falar muito de persona e público alvo. Mas qual a diferença entre esses dois conceitos?

Para que uma estratégia de marketing funcione, não basta apenas produtos de qualidade e orçamento para investir em publicidade. É necessário criar um relacionamento sólido com os clientes, conhecendo bem as pessoas que serão impactadas pela sua marca.

Para aumentar as chances de sucesso da sua campanha, é preciso analisar o seu potencial público através da comunicação direta, fazendo um levantamento detalhado sobre o perfil dos seus clientes.

E é aqui que entram os dois conceitos chaves para uma estratégia de sucesso. Persona e Público alvo. Como identificar cada um?

Público Alvo

Um conceito famoso no mundo do marketing, o público alvo, é a parcela da sociedade que se interessa pelo seu produto. Ou seja, os seus consumidores. Para definir o seu público alvo, primeiro é necessário estabelecer alguns parâmetros, como o perfil socioeconômico, demografia, e claro, a região que será impactada pela sua campanha.

Para isso, observe características como:

  • Gênero
  • Idade
  • Profissão
  • Perfil social
  • Poder aquisitivo
  • Formação
  • Região

Confira um exemplo:

 

Definindo seu público alvo, você pode direcionar sua comunicação, traçando uma estratégia de relação direta entre sua marca e o seu nicho. Assim, você descarta a produção de conteúdo genérica, evitando o investimento em esforços que não geram resultados.

Para obter melhores resultados, você pode separar o público alvo da sua empresa x o público alvo de determinado serviço. Sim, existe diferença! Segmentando o público alvo de determinado produto, é possível traçar uma estratégia duplamente direcionada.

Para estabelecer o público dos seus produtos, analise características como:

  • Seu produto é destinado a pessoas físicas ou jurídicas?
  • Qual região é impactada pelo seu produto?
  • Qual gênero do público que consome seu produto?
  • Qual renda?
  • Qual geração ou idade se interessa pelo seu produto?

Se você já tem um público fixo, será mais fácil identificar o perfil de pessoas que melhor se enquadram na sua estratégia. E caso você esteja começando um negócio, pode optar por consultar pesquisas de marketing, e dados sobre seu segmento fornecidos por órgãos públicos, como o IBGE. Ou contratar um profissional especializado para te auxiliar nesse processo.

Persona

Com o avanço da tecnologia, o conceito de público alvo acabou dando espaço para o surgimento de um novo conceito: persona, ou buyer persona. Que é um perfil semi fictício do cliente ideal da sua marca.

É um perfil mais detalhado, que vai além dos parâmetros de definição do público alvo. É um trabalho mais cirúrgico de pesquisa, buscando compreender a fundo as necessidades desse cliente, criando uma conexão sólida entre sua marca e o alvo, estabelecendo uma relação assertiva e empática.

Além das características que encontramos no público alvo, como perfil socioeconômico, e região, a persona inclui outras características como:

  • Um nome (pode ser fictício)
  • Uma breve biografia (idade, região em que mora, profissão)
  • Estilo de vida
  • Hábitos
  • Ambições
  • Dúvidas
  • Desafios

Por exemplo:

Compreender seu público alvo é essencial, mas criar e conhecer a sua persona possibilitará uma maior confiança nas estratégias de comunicação da sua marca. Assim, você poderá direcionar sua campanha de acordo com a linguagem que será mais eficaz, saberá em qual rede social deverá focar, quais assuntos tem maior chance de sucesso, palavras-chave, formato ideal para os conteúdos, etc.

A criação da persona é útil para todas as etapas de uma estratégia, desde a idealização da campanha até o desenvolvimento do produto.

E como definir a persona ideal para sua marca?

Primeiro é necessário entender que apesar de fictícia, a persona deve ter uma base sólida através de dados e pesquisas do mercado. Para isso, você pode procurar seus clientes, ou consultar pesquisas disponibilizadas por órgãos confiáveis.

Responda perguntas como:

  • Quem é o meu cliente? Como ele é, e como ele pensa?
  • Que tipo de conteúdo ele consome sobre o meu setor?
  • O que ele faz? Qual sua profissão, quais hobbies, o que ele gosta de ler, estudar?
  • O que ele gostaria de saber sobre meus serviços?
  • Qual sua formação? Suas ambições e frustrações?
  • O que ele procura quando interage nas redes sociais?
  • Como eu posso ajudá-lo através do meu trabalho?

Realizando essa pesquisa, você pode traçar uma estratégia eficiente, que gera resultados criando uma relação única com seus clientes,  gerando uma experiência positiva para seu público.

Então, para finalizar: Persona e Público alvo são essenciais para os processos de marketing de uma empresa. Enquanto o Público Alvo traz informações mais abrangentes sobre seu cliente, a persona afunila essas informações, fornecendo maiores detalhes sobre quem é impactado pela sua marca, auxiliando o direcionamento da campanha através da abordagem mais adequada para cada público.

E você? Já criou sua persona? Conta pra gente!

 

 

Você sabe por onde começar a montar a estratégia de marketing da sua empresa? Se não, esse artigo é especialmente pra você!

Administrar uma empresa não é fácil. A correria do dia a dia é intensa, e nem sempre sobra tempo para planejar campanhas de marketing. É comum surgirem dúvidas de por onde começar esse processo: criar um perfil nas redes sociais, desenvolver um site, investir em campanhas Google… São inúmeras possibilidades. E sendo uma parte importante para o sucesso do seu negócio, não dá para deixar de lado!

A internet se tornou uma forte aliada para o mundo do marketing nos últimos anos. Sendo uma ferramenta acessível, e prática, muitas empresas tem investido na criação de campanhas de marketing voltadas quase exclusivamente para as plataformas digitais.

Estar presente na internet é imprescindível para atrair novos clientes. As redes sociais elevaram o conceito de interação social, tornando-se uma das mais poderosas ferramentas de comunicação do mundo contemporâneo. Se sua empresa marca presença nas redes, e produz conteúdo de valor, automaticamente você fará novas conexões.  Mas isso não é tudo. E aí que entra a consultoria de marketing.

Alguns empresários têm receio de contratar uma empresa ou profissional especializado na área por acreditar que a terceirização do serviço afetaria a qualidade e personalidade da marca. Porém, se você é está trabalhando sozinho, ou está começando, é possível que não domine as estratégias mais adequadas para o seu negócio.

E para te ajudar a decidir, fizemos esse post explicando como funciona uma consultoria de marketing!

O que é uma consultoria de marketing?

A consultoria de marketing atua na área de criação e análise de estratégias de divulgação da sua marca. Ou seja, te auxilia a desenvolver as melhores táticas para atrais novos clientes, orientando pelos caminhos que terão mais efeito.

Porém, é necessário destacar que a consultoria de marketing é diferente da assessoria de marketing. A consultoria tem o objetivo apenas de orientar, realizar diagnósticos, e apontar a direção correta para sua estratégia. Já a assessoria, atua desde o planejamento até a execução e análise.

O que esperar de uma consultoria?

1. Diagnóstico

Um dos principais objetivos da consultoria de marketing, é realizar uma análise detalhada sobre o atual cenário das estratégias da empresa, apontando os pontos fortes e os que precisam de mais atenção. Para isso, a empresa, ou profissional especializado irá analisar todo o circuito de marketing, desde os processos físicos até a presença virtual, blogs, sites, redes sociais, etc. Geralmente, algumas mudanças iniciais já surtem efeito, como elevar a posição no Google.

2. Planejar os próximos passos

Depois de realizado o diagnóstico, o próximo passo é o planejamento. Com os resultados em mãos, a consultoria de marketing deve elaborar um novo plano de ação, condizente com a realidade daquela marca, alinhando os processos de abordagem com o público alvo, e apontar uma direção para a equipe responsável pelo marketing.

3. Orientar

Após a análise da situação, e com o planejamento pronto, a consultoria de marketing deve desenvolver um plano de ação. Aqui, devem ser apontadas soluções para os problemas encontrados, e direcionar para as atividades que apresentem maior potencial de sucesso.

O que uma consultoria de marketing não faz?

1. Execução

Como mencionamos, a consultoria tem o objetivo apenas de orientar. Não se deve esperar que eles se responsabilizem pela produção de conteúdo.

Existem algumas empresas que oferecem esses recursos, mas não é regra. O papel da consultoria é orientar e monitorar os resultados. Ela pode te indicar profissionais que cuidem do processo de alimentação das suas plataformas, mas não é regra que realizem essa atividade.

2. 24 horas de disponibilidade

Você deve se atentar ao modo como atua a agência, ou profissional que contratou para a consultoria. É importante acordar um método que funcione para ambas as partes: definir horários para reuniões, suporte, e questões. Definam um meio de comunicação para otimizar o tempo.

Quais as vantagens de contratar uma consultoria de marketing?

Conhecer seu público

Não reconhecer seu público alvo é uma das principais razões de baixos resultados. A consultoria de marketing te auxilia a identificar seu nincho, e desenvolver soluções de atingi-lo da maneira mais propícia ao sucesso.

Otimização de tempo

Nem sempre é possível ter tempo para realizar todas as tarefas de uma empresa, e a consultoria de marketing pode te ajudar a otimizar seu tempo, identificando onde estão os erros da sua abordagem, e te direcionar para melhores resultados. Assim, você economiza seu tempo com a certeza de que sua estratégia tem maior potencial de sucesso.

Foco nas estratégias

A consultoria de marketing irá focar no desenvolvimento de suas estratégias, apontando os problemas, e direcionando as soluções. Com uma equipe experiente focada nessa etapa, as chances de sucesso dobram.

E quando é necessário contratar uma consultoria de marketing?

É relativo. Cada empresa tem uma disponibilidade de recursos diferentes, e é necessário analisar suas necessidades. Se sua empresa tem condições mínimas de executar o projeto, como uma equipe ou até mesmo um funcionário dedicado ao marketing, e um orçamento destinado a área, já é possível considerar contratar uma consultoria.

E se você deseja obter melhores resultados, e não tem tempo para se dedicar ao desenvolvimento de estratégias de marketing, contrate uma empresa que te entende! 

 

 

A leitura é uma ótima maneira de manter seus conhecimentos atualizados e alinhados com as novas tendências do mercado. Organizar seu tempo para dedicar-se ao hábito talvez seja a parte mais difícil nessa jornada. Por isso, separamos 5 leituras essenciais, uma em cada área específica do design para que você possa se programar de acordo com as suas necessidades mais urgentes!

1. Princípios Universais Do Design – William Lidwell (TEORIA)

Will Lidwell, é uma referência do design gráfico que atua desde meados de 1990. Nesse livro, o autor traz em uma linguagem mais acessível uma visão bastante abrangente sobre Design. Ele discorre sobre diversos princípios da área, sem correlacioná-los, possibilitando que o leitor possa colocá-los em prática imediatamente.

2. Pensar com tipos: Guia para designer, escritores, editores e estudantes – Ellen Lupton (TIPOGRAFIA) 

Neste título bastante famoso, e muito utilizado nas faculdades, a autora mostra como usar a tipografia da maneira correta. Explorando três seções: letra, texto e diagramação. Ela aborda os conceitos por trás da prática, o que torna esse livro um verdadeiro guia para os criativos!

 

3. Psicologia das cores: Como as Cores Afetam a Emoção e a Razão – Eva Heller (CORES)

Esse talvez seja o título mais famoso da seleção. Nele, a autora reúne vários estudos e pesquisas de como as cores atuam no contexto psicológico, o que significam, e como interferem em nossas emoções. Com certeza esse título merece uma atenção especial porque pode ser útil em diversas situações diferentes, e em vários momentos da sua carreira.

 

4.Fundamentos Essenciais da Ilustração -Andrew Hall – (ILUSTRAÇÃO)

Um verdadeiro guia para ilustradores, o autor apresenta com auxilio de recursos visuais, como ilustrações e gráficos, aspectos fundamentais para a criação artística. Além da teoria, o livro também oferece uma introdução dedicada a parte prática, apresentando algumas técnicas básicas de criação de imagens.

5.Manual de Identidade Visual: Guia para a Construção de Manuais – Daniella Munhoz (IDENTIDADE VISUAL)

Escrito pela brasileira Daniella Munhoz, o livro é uma introdução ao mundo da identidade visual. Ela explora os elementos por trás da criação, de maneira prática e objetiva, possibilitando que o leitor coloque em prática os conceitos apresentados com um bom embasamento bibliográfico.

 

Conta pra gente o que você achou dessa seleção! Qual desses títulos você tem mais curiosidade em ler?

 

 

 

Já sentiu que aquele post não engajou nadinha? É bem mais comum do que você imagina! Por isso, separamos algumas atitudes que devem ser evitadas na hora de publicar seu conteúdo.

Primeiro vamos definir alguns conceitos.

Atualmente o Instagram é uma das maiores ferramentas de marketing disponíveis no mercado.  Isso porque a plataforma é simples, acessível e bastante popular. É cada vez mais comum a criação de perfis para empresas, marcas, e  produção de conteúdo.  E com o aumento significativo de pessoas utilizando o Instagram para trabalhar, a rede social desenvolveu alguns recursos direcionados para esse público.

Dentro da plataforma, você pode categorizar o seu perfil (definir se é pessoal, ou para sua empresa/marca e setar seu segmento, dentro das opções disponibilizadas), adicionar links de contato, como telefones e emails, adicionar uma loja, e até mesmo criar um canal de vídeos (IGTV).

A plataforma oferece ainda informações sobre a atividade da sua conta. Por exemplo: Interações, alcance, e impressões. É bastante comum haver dúvidas na hora de entender a utilidade de cada uma, e por isso, faremos um rápido resumo sobre o que são.

O Instagram gera um relatório de cada post contendo informações sobre seu engajamento, ou seja, as interações que os usuários realizam com você e seu conteúdo: curtidas, visitas, comentários, compartilhamentos, etc. (É importante ressaltar que esse recurso só está disponível para contas categorizadas como comerciais ou figuras públicas). Para ter acesso a esse relatório basta clicar em “ver informações” na parte inferior da imagem publicada.

Ao clicar nesse botão, aparecem os números de impressões obtidas no seu post. Entre elas,o número de interações, que segundo o próprio Instagram são: “As ações que as pessoas executam quando se engajam com sua publicação.”Ou seja, ações que as pessoas realizaram a partir daquela publicação, curtidas, comentários, e o número de visitas ao seu perfil. Em seguida, apresenta o item descoberta, que indica o número de contas alcançadas, entre seguidores e não seguidores. Nesse campo, o Instagram também mostra o alcance, que é“o número de contas únicas que viram sua publicação” (definição do Instagram). Ou seja, o número de pessoas que entraram em contato com a publicação, sem contabilizar se a mesma conta viu o post mais de uma vez. E por último, as impressões, que é basicamente a quantidade de vezes que o post foi visto, na página inicial, dentro do seu perfil, e no explorar, contabilizando as repetições de visualização de um mesmo usuário.

*É possível obter a definição de cada item clicando no símbolo “i” circulado ao lado de cada um. 

Essa métricas são extremamente importantes para você poder ter conhecimento do seu engajamento atual na rede, e estudar como é possível melhorá-lo. E para isso, é necessário atentar-se a algumas coisinhas na hora de montar sua estratégia digital.

  1. NÃO utilize muitas hashtags genéricas. Ao utilizar muitas hashtags, seu post pode ser entendido como spam, e também a utilização de muitas hashtags genéricas, pode fazer com que você passe despercebido no explorar, e assim, seu conteúdo será considerado como irrelevante para o Instagram.
  2. NÃO  fazer stories com frequência. A plataforma espera presença, e o storie é a melhor maneira de marcar presença na rede social. É possível postar fotos e vídeos rápidos que ficarão disponíveis por 24 horas. Por isso, seja bastante presente através dos stories.
  3. NÃO edite legendas após postar. Sempre revise os textos da imagem, e a legenda antes da postagem. Ao editar a legenda pouco tempo após a publicação o Instagram entende que havia erros.
  4. Postar em horários diferentes, ou não postar com frequência. Assim como dito anteriormente, o Instagram gosta de frequência, e se você não posta regularmente você será penalizado pelo algorítimo. E na hora de postar, é importante atentar-se aos horários em que seus seguidores estarão online. Você não deixaria sua loja abandonada no horário de maior movimento, não é mesmo? No Instagram funciona da mesma maneira. Se você sabe que 14hrs é a hora que tem mais seguidores online, é nessa hora que devem ser realizadas as postagens. Quando os primeiros usuários interagirem com seu post, ele será impulsionado para mais pessoas ativas naquele momento.
  5. Postar imagens sem resolução. A plataforma consegue identificar quando as imagens tem a qualidade baixa, e a penalizam por isso diminuindo o impulsionamento.
  6. Postar, apagar e repostar. Segue a mesma lógica das legendas, o Instagram entende que havia erro, e consequentemente seu engajamento irá cair. Por isso, sempre revise tudo antes de publicar.
  7. Não planejar seu conteúdo. O seu engajamento depende muito do conteúdo dos seus posts. E para isso, é fundamental a organização. Defina os temas que quer abordar aquela semana, ou faça um planejamento mensal. Ao final de cada semana ou mês, analise seus números, assim podendo trabalhar na melhoria da sua estratégia, identificando os conteúdos mais relevantes para seu público.
  8. Postar várias fotos seguidas. Frequência não é sinônimo de bombardeamento. Ao postar várias fotos seguidas o Instagram entende como spam, e penaliza suas publicações.
  9. Ignorar interações. O Instagram é uma rede social. Ou seja, as pessoas esperam desenvolver relacionamentos com quem seguem. Responda comentários, mensagens, elogios e críticas.

Sempre fique atento as atitudes que podem derrubar seu engajamento. E se você deseja aumentar sua presença nas redes sociais mas não tem tempo para se dedicar, procure uma agência que te entende!

Você já estudou a possibilidade de criar um website para sua empresa? Se não, você precisa ler esse artigo!

Um website é essencial para sua empresa, seja ela de grande ou pequeno porte. Na era digital, ter um endereço eletrônico é uma das maiores ferramentas de marketing disponíveis no mercado.

Primeiro, vamos começar pelo básico.

O que é um Website?

Um website é um endereço eletrônico, seja de uma pessoa física ou jurídica. Na prática, é como colocar sua empresa no mapa virtual. E lá, você pode atuar de diferentes maneiras, desde apenas disponibilizar informações de contato, até vender diretamente pela internet.

E qual a importância de criar um site?

Uma das principais razões para criar um site é a visibilidade. Estar presente na internet é fundamental para aumentar o alcance do seu negócio.

O papel do website é servir como uma vitrine para sua empresa, disponibilizando informações importantes para o seu público, como endereço, telefones, produtos disponíveis, etc.

Além disso, a presença na internet possibilita que mais pessoas possam encontrar o seu negócio se tornando possíveis clientes.

Outra vantagem de ter um site próprio é a otimização do tempo. Com as informações sobre sua empresa reunidas em uma página, fica mais fácil para os clientes encontrarem o que precisam. Por exemplo, preço, tamanho, e disponibilidade, evitando deslocamentos desnecessários.

Um website também torna mais acessível o atendimento ao cliente, que possibilita um canal de atendimento direto com a empresa, seja para sugestões, dúvidas ou reclamações, e também cria uma maneira de avaliação dos seus serviços.

O ponto positivo de estreitar o relacionamento com o cliente é a credibilidade do seu negócio. 

Além da criação do website, é necessária uma boa estratégia de marketing, e para isso você pode procurar uma empresa especializada na área.

Com um site, e uma boa campanha de marketing,  é possível atrair novos clientes. A criação de um plano adequado, aumenta sua chance de sucesso. Por meio da internet, você pode promover seus produtos de forma dinâmica, visual, e atrativa, entregando ao visitante uma experiência positiva. Dependendo do seu segmento, ainda é possível disponibilizar ferramentas para fazer orçamentos e projetos virtuais.

Um website é fundamental, mas ele não é tudo. Marcar presença nas redes sociais é extremamente necessário nos dias de hoje. Um dos maiores exemplos da força da internet, foi a migração de diversas empresas para o mundo virtual durante a pandemia do novo coronavírus. Através das mídias sociais muitos empreendedores conseguiram manter seus negócios funcionando, e ainda descobriram um novo nincho.

Como falamos anteriormente, estar na internet possibilita que as mais diversas pessoas encontrem os seus serviços (e se não encontrarem, com certeza encontrarão algum concorrente). E por esse motivo, é necessário atentar-se as técnicas que os mecanismos de buscam utilizam para promover uma página.

Um website já se tornou um investimento indispensável para aquelas empresas que buscam se destacar. E que tal começar a criar o site da sua empresa?

 

 

 

 

 

Ligamos para Você!


Seu número de telefone não será usado para fins de marketing